Galiotte acusa. Documentos da Blackstar são falsos


Documentos falsos fazem o Palmeiras desistir de vez da Blackstar.  E vai renovar o patrocínio com a Crefisa

Documentos falsos da Blackstar acabaram com chance de parceria

Documentos falsos da Blackstar acabaram com chance de parceria

Agência Palmeiras

São Paulo, Brasil

Uma enorme derrota para Paulo Nobre, intermediário do empresário Rubnei Quícoli, que sonha voltar à presidência palmeirense, travando Leila Pereira.

Este foi o efeito caótico da investida da Blackstar para patrocinar o Palmeiras.

A situação é constrangedora.

Na luta eleitoral envolvendo Mauricio Galiotte e Genaro Marino, surgiu uma proposta de R$ 1,4 bilhão da empresa especializada em energia e que tem escritórios na Ásia.

Paulo Nobre foi procurado por Rubnei Quícoli, empresário que já tentou até comprar a arena palmeirense, mas não teve sua proposta aceita pela construtora W Torre. Nobre aceitou ser o intermediário, a pessoa que faria o elo entre o clube e a empresa.

Ele se envolveu na questão porque seria uma maneira de anular o poder de Leila Pereira, dona da Crefisa. Ela é sua inimiga mortal e será candidata à presidência do clube em 2021.

Nobre sabia que a Crefisa não teria como igualar a proposta de R$ 1,4 bilhão pelo patrocínio do clube por dez anos. E o apadrinhado de Nobre, o ex-vice presidente e candidato da oposição, Genaro Marino procurou diversos conselheiros antes da eleição. Garantiu que, se fosse eleito, esse dinheiro todo estaria garantido.

Mesmo assim, a oposição perdeu. Mas chegou a surpreendente 40% dos votos. Quícoli não sossegou. Disse que iria apresentar oficialmente a proposta a Galiotte e ele 'teria de aceitar' pelo bem do Palmeiras.

Só que o dirigente tinha sérias dúvidas sobre a origem do dinheiro da Blackstar. Mandou que seu departamento jurídico formulasse um questionário que a empresa teria de responder oficialmente até a sexta-feira, dia 14. Eram 19 questões. A esmagadora delas inquirindo de onde vinha o dinheiro.

Pelo apoio que deu a Quícoli, Paulo Nobre sofreu severa derrota no Palmeiras
Pelo apoio que deu a Quícoli, Paulo Nobre sofreu severa derrota no Palmeiras
Reprodução/Instagram
Quícoli se mostrou indignado.

Não só não respondeu.

Como publicou uma carta aberta a Galiotte.

Ele mostrou destempero inacreditável.

Chamou Galiotte de 'covarde' e 'patético'.

Foi além e atacou também a Crefisa.

Galiotte já havia desistido do patrocínio e preferiu seguir com a Crefisa, como antecipou o blog.

Com a carta aberta, o dirigente palmeirense considera que tudo está resolvido.

Não há negócio com Quícoli.

E ainda avalia se o processará ou não.

O prejuízo político é todo de Paulo Nobre.

Galiotte e membros do Conselho de Orientação Fiscal e da cúpula do Conselho Deliberativo alegam de Quícoli tem esse espaço enorme na mídia por conta de Paulo Nobre.

E o enxergam perturbando o ambiente palmeirense.

A situação está mais do que decidida.

A proposta da Blackstar não será avaliada.

Quícoli está livre pra levar o R$ 1,4 bilhão para onde quiser.

Corinthians ou Flamengo, como havia prometido.

Tudo o que aconteceu teve um efeito colateral.

Danoso para Nobre.

Mauricio Galiotte e Leila estão mais próximos.

E deverão anunciar a renovação de contrato com a Crefisa.

Por três anos.

Provavelmente, por R$ 100 milhões por ano.

O que já é uma quantia exorbitante pelo uniforme do clube.

Virou uma questão de honra para Galiotte...

(E ele comprovou o que o blog antecipou.

Galiotte acaba de dar uma entrevista ao Sportv mostrando os documentos que a Blackstar apresentou. Entre eles a garantia de pagamento por parte do HSBC. O banco assegurou que a empresa nunca foi sua cliente.

O presidente do Palmeiras afirmou que não haverá qualquer conversa. Não negocia com empresa que, de acordo com ele, falsifica documentos.

"Neste momento o Palmeiras encerra qualquer tipo de diálogo, por total falta de credibilidade. O Palmeiras foi buscar junto ao banco. Acabamos de receber uma carta do banco HSBC dizendo que os documentos apresentados ao Palmeiras são falsos", declarou o dirigente.

Ele também revela que o capítal atual da empresa é de apenas R$ 5 mil.

Acabou a história.

O Palmeiras seguirá com a Crefisa...)