Flu e Botafogo prometem ir à Justiça Comum. Para jogarem em julho

Cabe ao presidente da Ferj, Rubens Lopes, evitar que o Carioca seja paralisado. Basta permitir que os dois clubes voltem a jogar no dia 1º de julho

Rubens Lopes pode evitar que o Carioca vá parar na Justiça Comum

Rubens Lopes pode evitar que o Carioca vá parar na Justiça Comum

Ursula Nery/Ferj

São Paulo, Brasil

A falta de bom senso do presidente Rubens Lopes pode travar o Campeonato Carioca, que ele tanto queria que voltasse, em plena pandemia.

O mandatário da Ferj sabia que Fluminense e Botafogo não aceitavam jogar em plena pandemia do coronavírus.

Depois de muita discussão, pressão, e quando os dirigentes dos dois clubes se viram em minoria, diante dos outros clubes que disputam o Estadual, puxados pelo Flamengo, recuaram.

E avisaram que aceitariam atuar no início de julho.

É público que seus times não estavam nem treinando.

O Fluminense volta hoje. E o Botafogo, amanhã.

Mas em uma inaceitável demonstração de força, Rubens Lopes marcou as partidas do Fluminense e Botafogo, contra o Volta Redonda e Cabofriense, para a próxima segunda-feira, dia 22.

E óbvio, deu início a uma batalha jurídica.

Os dois clubes entraram com uma ação junto ao Tribunal de Justiça Desportiva, da própria Federação Carioca. Para não jogar na segunda-feira. E também na próxima quinta-feira, contra Macaé e Portuguesa.

Desejam as partida nos dias 1º e 4 de julho.

Nelson Mufarrej não se conforma com a volta 'precoce' do Carioca

Nelson Mufarrej não se conforma com a volta 'precoce' do Carioca

Vitor Silva/Botafogo

O presidente do tribunal, Marcelo Jucá, indeferiu os pedidos de liminar e manteve a tabela do Estadual. E avisou ao Botafogo que, se não abrir o estádio Nilton Santos para o jogo, como ameaça, será multado em R$ 100 mil.

Os dois clubes vão recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Se perderem, garantem que não entrarão em campo.

E prometem recorrer à Justiça Comum.

Paralisando o Carioca que a Ferj quis tanto que voltasse.

A punição para uma equipe que não entre em campo, no Brasil é dura. Exclusão da competição e rebaixamento no próximo ano.

Até o prefeito Marcelo Crivella, parceiro da Ferj no retorno do futebol, disse que 'seria melhor para todos', Botafogo e Fluminense terem tempo para se preparem.

"O bom aluno, que estudou, se preparou para a prova, chega para fazê-la, mas o aluno que não estudou quer adiá-la", ironizou o presidente da Federação Carioca.

Basta Rubens Lopes decidir entrar em acordo com os clubes, adiar os jogos, e a questão da justiça estará extinta.

Mas se continuar com essa tola guerra, poderá ser peça fundamental na sabotagem do Carioca.

Os dirigentes do Botafogo e Fluminense juram que irão à Justiça Comum, caso percam no STJD.

Mario Bittencourt garante. Fluminense não recuará. Não jogará antes de julho

Mario Bittencourt garante. Fluminense não recuará. Não jogará antes de julho

Fluminense

Com a pandemia, não há a menor previsão por parte da CBF, do início do Brasileiro ou da volta da Copa do Brasil.

Estadual algum recomeçou.

Só o do Rio.

Ou seja, não há pressa alguma.

O fim desta confusão jurídica depende de um só homem.

O presidente da Ferj...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Fla vence Bangu com facilidade em Maracanã vazio pela pandemia