Felipe Melo dedica gol a Bolsonaro. E tira o Palmeiras do sufoco

Enquanto o volante marca o gol salvador contra a Chapecoense, Mano Menezes tem outra prova como precisa de reforços ofensivos.

Gol de Felipe Melo. Por trás da vibração, o afobado futebol ofensivo palmeirense

Gol de Felipe Melo. Por trás da vibração, o afobado futebol ofensivo palmeirense

Alex Silva/Estadão Conteúdo - 16.10.2019

São Paulo, Brasil

"Martelamos até o final. Mostramos uma força imensa do nosso grupo. A única vez que precisamos do nosso goleiro, ele foi muito bem. A vitória vem para coroar, buscamos desde o primeiro minuto contra um time que veio para empatar, que faz parte do futebol.

"Eu quero dedicar o gol a um cara que me trouxe para cá quando cheguei aqui, que é o (Alexandre) Mattos. Quero dedicar também para minha esposa e para o Presidente da República”

Felipe Melo pode dedicar o gol a quem quiser.

O seu chute foi o 30º que o Palmeiras deu contra a Chapecoense, na magra vitória por 1 a 0.

Mano Menezes ficou eufórico com o gol do volante aos 54 minutos do segundo tempo.

A diferença entre o Palmeiras e o Flamengo, líder, se manteve em oito pontos.

Mas o treinador outra vez viu seu time afobado, precipitado no último passe. Na partida de ontem, ele viu Zé Rafael, Gustavo Scarpa e Raphael Veiga foram mal. Assim como já havia tido desempenho péssimo Lucas Lima.

O problema segue preocupante.

O sistema defensivo do último colocado no Brasileiro, a Chapecoense, conseguiu travar o Palmeiras. A esmagadora maioria dos 30 chutes a gol foi dada de forma precipitada, afobada.

"Na primeira parte do jogo, porque não soubemos entender a maneira certa de atacar uma linha de cinco (defensores). Começamos a precipitar um pouco, erramos as bolas, o time e torcida começam a ficar intranquilos. Aí as coisas começam a ficar mais difíceis", reconhecia Mano Menezes.

Luta de Deyverson. Mas fraco futebol com a bola nos pés

Luta de Deyverson. Mas fraco futebol com a bola nos pés

Thiago Rodrigues/Estadão Conteúdo - 16.10.2019

No segundo tempo, o treinador mandou seu time adiantar suas linhas. O recuo da Chapecoense aconteceu porque os catarinenses apostavam no 0 a 0.

Até que veio o castigo aos 54 minutos, com gol de Felipe Melo.

Mano sabe que a situação é insolúvel para este Brasileiro.

Mas em 2020, o elenco será reformulado.

Principalmente do meio para o ataque.

Para que o time não precise de gols do seu primeiro volante...