Exemplo de violência. A covarde joelhada do dirigente em Gabigol

Gerente do Vasco, André Souza, invade gramado e dá uma joelhada no atacante do Flamengo. O STJD e o Vasco têm a obrigação de punir André

A vergonhosa joelhada do dirigente do Vasco em Gabigol. STJD tem de punir

A vergonhosa joelhada do dirigente do Vasco em Gabigol. STJD tem de punir

Reprodução/Premiere

São Paulo, Brasil

"A emoção do jogo, em mais nestes clássicos, acontecem.

"Quando acabou o jogo, os jogadores menos equilibrados causam essas situações.

"Quando dirigente, seja de que equipe for, agride jogadores, é grave.

"Isso é grave, falta de respeito pelos jogadores do Flamengo, pelo Gabigol e pelo clube que ele está.

"É um clube de história.

"Não sei o nome dele e nem quero saber.

"Não tem capacidade para trabalhar em um clube da história do Vasco."

Esse o resumo de Jorge Jesus sobre a cena mais lamentável que aconteceu no Maracanã, ontem à noite.

Vários jogadores de Flamengo e Vasco, exaltados, depois do tenso e emocionante empate em 4 a 4, aproveitaram o desentendimento entre Ribamar e Pablo Marí e passaram a se empurrar, se xingar.

Em uma demonstração do atraso do futebol brasileiro, o gramado ficou livre para várias invasões de dirigentes, seguranças, membros das Comissões Técnicas.

O que as câmeras flagraram foi indecente. 

O gerente de futebol do Vasco, André Souza, passou a perseguir Gabigol.

Vestia sapatos, calça preta e camisa social branca.

Ele tem idade para ser pai, talvez avô do atacante do Flamengo.

Mirou, foi atrás do jogador.

Gabigol discutia com Felipe Bastos.

André parecia querer tranquilizar o atacante, passando a mão na sua cabeça. O auxiliar de Jorge Jesus, João de Deus, procurava ficar entre os dois. E André seguia importunando, provocando o flamenguista.

Quando Gabigol devolveu um palavrão a Bastos, o gerente do Vasco se aproximou por trás do jogador.

E acertou uma joelhada na sua coxa.

Uma 'paulistinha' para os paulistas.

Um 'tostão' para os cariocas.

Covarde, com o atacante olhando para Bastos.

O jogador do Flamengo ficou perplexo com a agressão, nem reagiu.

A cena foi toda registrada pela tevê.

Resta apenas os auditores do STJD tenham coragem, vergonha na cara, para enfrentar a força política que o Vasco sempre teve nos bastidores.

E darem uma punição exemplar a André Souza.

Dirigente que agride jogador adversário é absurdo.

A direção do Flamengo promete acionar a CBF.

E o Brasil só espera por justiça.

É esse tipo de exemplo que se espalha nas arquibancadas, nas organizadas.

Jorge Jesus tem razão.

Esse dirigente não representa o grande Vasco da Gama.

Que Alexandre Campelo justifique seu cargo de presidente.

E não espere o STJD.

Dê o exemplo.

Esqueça a força política.

E puna André Souza. 

Afastamento, demissão.

O Vasco não merece esse cidadão como gerente...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Gabigol: conheça as mulheres que mimam o artilheiro do Brasileirão