Cosme Rímoli Escândalo sexual de Neymar atinge Globo e Seleção de Tite

Escândalo sexual de Neymar atinge Globo e Seleção de Tite

A emissora carioca queria a reaproximação do jogador. E Tite colocá-lo, de novo, como símbolo de sua Seleção. A acusação de suposto assédio sexual sabotou os dois planos

  • Cosme Rímoli | Do R7

A denúncia de um suposto assédio sexual veio no momento da reconstrução da Seleção

A denúncia de um suposto assédio sexual veio no momento da reconstrução da Seleção

Lucas Figueiredo/CBF

São Paulo, Brasil

A cúpula da TV Globo estava entusiasmada.

Em uma reviravolta, a emissora que enfrenta graves problemas financeiros, conseguiu comprar todos os jogos que o Brasil fará nas Eliminatórias para a Copa de 2022, fora do país.

Ela já tinha os que acontecerão 'em casa' e o confronto contra a Argentina, em Buenos Aires.

Com a confirmação, a ordem é buscar uma reaproximação com Neymar. 

A relação nunca mais foi a mesma depois das fortíssimas críticas de Galvão Bueno nas Olimpíadas de 2016. 

A movimentação já começara nos bastidores. O jogador, de 29 anos, sabe que sua idolatria no país está muito desgastada. E ele está disposto a tentar recuperá-la para a Copa do Mundo de 2022.

Já na partida da próxima sexta-feira, em Porto Alegre, contra o Equador, o foco seria no jogador. A direção da Globo acredita que o futebol brasileiro precisa da veneração ao ídolo, para alavancar a audiência e, principalmente, estimular os patrocinadores para o Mundial do Catar.

Só que a revelação, por parte do Wall Street Journal, que a Nike rompeu o contrato que mantinha com o jogador por 15 anos, por conta de um suposto assédio a uma funcionária da empresa, tentando que ela fizesse sexo oral, em 2016, provocou abalo sísmico na emissora.

Como endeusar Neymar no momento que surge uma nova denúncia sexual contra o jogador? A primeira foi feita pela modelo Najila Trindade, que a justiça não levou em consideração, em 2019.

O próprio jogador não desmentiu o jornal norte-americano sobre o motivo que a Nike rompeu com ele. Neymar se disse 'traído' e que, por motivos contratuais, não poderia avançar nas explicações.

Neymar e Galvão Bueno já foram próximos. Até as críticas na Olimpíada de 2016

Neymar e Galvão Bueno já foram próximos. Até as críticas na Olimpíada de 2016

Divulgação/Globo

O jogador talvez use o Fantástico, programa dominical da emissora, para mais uma vez tentar limpar sua imagem. Como fez, por exemplo, quando xingou o técnico Dorival Júnior por não ter permitido que ele cobrasse um pênalti.

Foi no intervalo do programa, que Neymar 'se desculpou' pelo vexame que deu na Copa do Mundo de 2018. Na verdade, uma publicidade mal disfarçada da Gillette.

A emissora carioca reproduziu ontem a matéria do jornal norte-americano. Mas de maneira amena, enfatizando que a própria Nike considerou as denúncias da funcionária inconclusivas. Só não reiterou que uma parceria de 15 anos, com um dos jogadores mais midiáticos da Terra, por 'denúncias inconclusivas'.

Mesmo buscando a reaproximação, a denúncia do Wall Street Journal não permite festejar o atleta. Não tão cedo.

Um abraço de reconcilação com Galvão Bueno, em seguida às acusações de assédio, que teriam levado ao rompimento com a Nike, seria bizarro.

A Seleção de Tite também foi atingida em cheio. Não foi apenas a crise econômica que afastou a Globo dos jogos do Brasil. Há o interesse lógico do único país pentacampeão do mundo. Mas os fracassos seguidos, dos 19 anos distantes que a Seleção conquistou sua última Copa, pesam.

Principalmente o vexame na Rússia não foi esquecido. Com as absurdas simulações de Neymar.

Tite sabe da distância técnica do Brasil em relação às demais seleções sul-americanas. Foi nas Eliminatórias para o Mundial de 2018, que o treinador ganhou prestígio como o condutor ao hexacampeonato. Mas o fracasso na Rússia o vitimou. Perdeu o status que havia conseguido.

Desde 2016 é a mesma cena. Tite defendendo Neymar de tudo e de todos

Desde 2016 é a mesma cena. Tite defendendo Neymar de tudo e de todos

CBF

E, depois de seis meses sem jogos da Seleção, por conta da pandemia, o treinador queria aproveitar a partida no 'seu estado', Rio Grande do Sul, para com uma provável goleada contra o Equador, começar a arrancada para o Mundial do ano que vem.

Lógico que tendo Neymar, o jogador mais caro de todos os tempos, e o seu maior talento, como o garoto-propaganda desse time. Só que a acusação de assédio faz todo o planejamento de boa vizinhança ir por água abaixo.

Colocar o jogador para participar de coletiva antes do jogo é um risco. Porque as perguntas sobre o suposto assédio sexual seriam inevitáveis.

No mesmo dia que Neymar chegou à concentração, a acusação do suposto assédio é divulgada

No mesmo dia que Neymar chegou à concentração, a acusação do suposto assédio é divulgada

Lucas Figueiredo/CBF

Tite terá de responder sobre o tema.

Defenderá como sempre fez o jogador que depende para tentar ganhar a Copa. A situação de Neymar desviará o foco do recomeço do Brasil.

Globo e Seleção Brasileira estão juntas de novo.

Só que desta vez por conta de mais uma situação constrangedora provocada por Neymar.

Que sabotou os planos da emissora carioca e do time de Tite...

Últimas