Cosme Rímoli Dudu é o primeiro.Palmeiras quer desmanche.Volta do bom e barato

Dudu é o primeiro.Palmeiras quer desmanche.Volta do bom e barato

Desiludido, Galiotte resolveu vender estrelas. Montar uma equipe mais barata. Scarpa, Lucas Lima, Deyverson, Rapahel Veiga oferecidos no mercado

  • Cosme Rímoli | Do R7

Scarpa, Deyverson, Lucas Lima, Raphael Veiga. Oferecidos na janela europeia

Scarpa, Deyverson, Lucas Lima, Raphael Veiga. Oferecidos na janela europeia

Palmeiras

São Paulo, Brasil

Há um clima incômodo no Palmeiras.

De desistência por títulos.

E preocupação com as finanças.

A tentação por um time 'bom e barato' está se materializando.

A negociação de Dudu, por empréstimo, para o Al Duhail, é apenas a ponta do iceberg.

Está encaminhado um desmanche.

Desde a saída de Alexandre Mattos e sua postura megalomaníaca de contratar, sem sucesso onde importava: vencer a Libertadores, Mauricio Galiotte decidiu recuar.

Não mais comprar.

Vender.

Ele sairá no final de 2021 e quer cumprir a promessa de deixar o Palmeiras sem dívidas. 

E já havia prometido a conselheiros que não repetiria a 'loucura' de 2019.

Contratações milionárias, dois técnicos de Seleção Brasileira dispensados, com multa: Felipão e Mano Menezes.

E fracassos no Paulista, Copa do Brasil, Brasileiro e Libertadores.

O clube não venceu um título em 2019.

Sem pandemia, Galiotte pretendia gastar 30% a menos do que os R$ 536 milhões  do ano passado.

A primeira medida foi não ceder à pedida de R$ 1,5 milhão de salário exigida pelo argentino Jorge Sampaoli.

Por R$ 900 mil a menos contratou Vanderlei Luxemburgo.

 Faria mais: venderia estrelas do time, e baixaria a folha salarial do futebol.

E pretendia pagar os R$ 190 milhões à Crefisa, ainda por contratações 'dadas' pela patrocinadora, que a Receita Federal transformou em empréstimos, depois de multar a empresa de crédito pessoal.

Mas veio a pandemia, quatro meses sem futebol, e tudo piorou. 

Nada de arrecadação na arena, dinheiro de transmissão de futebol, fuga de sócios-torcedores. 

O clube deixou de arrecadar cerca de R$ 30 milhões por mês. 

Teve de diminuir a folha salarial em 25% dos jogadores.

Embora a Crefisa mantivesse o pagamento das parcelas responsáveis por R$ 72 milhões em patrocínio no ano, a tensão domina o presidente palmeirense.

De maneira exagerada para conselheiros importantes no clube.

Os mesmos revoltados pelo empréstimo de Dudu.

Galiotte decidiu de vez implementar a política que assombra o Palmeiras desde que Mustafá Contursi era o presidente, e a Parmalat deixou de patrocinar o clube.

A do 'bom e barato'.

No começo deste ano, o blog já havia avisado que essa política seria adotada, antes da pandemia. Galiotte mandou a assessoria do clube responder que o elenco já era caro e possuía jogadores diferenciado.

Mas o blog deixou claro que a projeção era um time "anti Alexandre Mattos". Foi  o que ocorreu.

E agora, Galiotte pressionado pela pandemia, decidiu priorizar o equilíbrio financeiro do clube, mesmo se vier outro ano de jejum de títulos.

A negociação de Dudu é amadora, leva em conta mais em conta o problema pessoal do jogador, acusado de agredir a ex-mulher. 

E o clube está emprestando seu melhor jogador ao Al Duhail, por 7 milhões de euros, cerca de R$ 41,9 milhões.

Mas vai se livrar de um salário de R$ 1,1 milhão.

Galiotte já avisou agentes e empresários que negociam com o Palmeiras. Não há atleta que o clube não aceite vender.

Gustavo Scarpa e Raphael Veiga. Dois jogadores que o Palmeiras quer vender

Gustavo Scarpa e Raphael Veiga. Dois jogadores que o Palmeiras quer vender

Palmeiras

Gustavo Scarpa, R$ 700 mil mensais, não conseguiu se firmar como titular. Está sendo oferecido para clubes espanhóis e árabes. Giuliano Bertolucci está buscando 7 milhões de euros, R$ 41,9 milhões. Mas se surgir com uma proposta de 5 milhões de euros, R$ 30 milhões, o jogador vai embora.

Raphael Veiga é outro que está sendo oferecido no mercado.

No começo do ano, o Palmeiras não quis vendê-lo ao Grêmio, por ser rival na Libertadores. Mas agora, se o clube gaúcho insistir, leva.

O clube só teve proposta do Al Ahli, dos Emirados Árabes, de empréstimo ao jogador. Por enquanto, disse não. 

Deyverson está até afastado do time, depois do seu empréstimo ao Getafe.

E é outro que o Palmeiras quer se livrar.

Grêmio, Internacional, Atlético Mineiro são equipes possíveis, se não houver proposta do Exterior.

Galiotte não quer a sequência do problemático atacante no clube.

Victor Luis pediu aos dirigentes para voltar ao Botafogo, já que o titular da lateral esquerda é o uruguaio Matías Viña e o reserva, Diogo Barbosa. 

Lucas Lima. R$ 1 milhão entre luvas e salários. Decepção e reserva

Lucas Lima. R$ 1 milhão entre luvas e salários. Decepção e reserva

Reprodução Twitter

O clube carioca vinha conversando com o jogador e Galiotte consentiu a negociação.

Negociar Lucas Lima, que custa R$ 1 milhão por mês, entre salário e direito de imagem, é outro objetivo. Mas o fraco futebol mostrado com a camisa verde desestimula interessados. 

Bruno Henrique, Diogo Barbosa, Zé Rafael, Gustavo Goméz, Luan...

Não há atleta inegociável.

A esperança é faturar nesta abertura de janela na Europa.

A empolgação deixou o departamento de futebol do Palmeiras.

O descontrole de Alexandre Mattos não é exemplo.

Mas a falta de ambição de Anderson Barros, ex-Botafogo, só faz aumentar a vontade de economizar de Mauricio Galiotte.

Aliás, a ordem do presidente é investir em garotos da base.

A possibilidade de ter Roger Guedes na  vaga de Dudu, que arruma malas para o Qatar, foi muito alta. E hoje, é remota.

Mustafá foi o primeiro a  apostar no 'bom e barato'. Clube foi rebaixado em 2002

Mustafá foi o primeiro a apostar no 'bom e barato'. Clube foi rebaixado em 2002

Reprodução Twitter

Mustafá Contursi está com sua vida política travada noclube, depois da acusação na justiça, de intermediar vendas de ingressos que ganhava de 'cortesia' da Crefisa. 

Mas seu espírito está presente.

O 'bom e barato' já domina o Palmeiras.

Será assim durante o resto de 2020...

Últimas