Cosme Rímoli Derrotas convencem Andrés. Corinthians buscará técnico

Derrotas convencem Andrés. Corinthians buscará técnico

O presidente queria seguir com Coelho até a eleição, no final de novembro. Mas proximidade da zona de rebaixamento faz Andrés procurar um treinador

Coelho faz o que pode. Mas é muito inexperiente para  o momento tão delicado

Coelho faz o que pode. Mas é muito inexperiente para o momento tão delicado

Agência Corinthians

São Paulo, Brasil

11 jogos no Brasileiro.

33 pontos disputados.

12 ganhos.

Dois pontos da zona do rebaixamento.

Tiago Nunes já foi despachado.

O interino Coelho perdeu dois dos três jogos que dirigiu do Corinthians.

De nove pontos, perdeu seis.

A derrota de ontem, contra o Sport, trouxe à tona a falta de experiência, recursos táticos do treinador do sub-20 assumir o time neste momento difícil. 

"Eu sou funcionário do clube.

"Vim chamado para ajudar e isso é o que procuro fazer, dependendo do que vai acontecer ou não, procuro fazer o meu melhor junto com os jogadores a cada dia, eles também estão procurando fazer o melhor deles", disse Coelho.

O Corinthians precisa agora mais do que um funcionário exemplar.

Mas de um técnico. 

Depois de analisar o mercado, o salário dos treinadores com potencial para assumir o Corinthians, como Felipão, Sylvinho e até Dunga, o presidente optou por dar uma chance para Coelho.

Até porque faltam três meses para acabar seu mandato.

Andrés não valoriza como deveria o trabalho dos técnicos.

Ele acreditava ser possível repetir com Coelho o que fez com Carille.

Só que os resultados estão não só frustrantes.

Mas também seguem atrapalhando seu candidato à sucessão, Duílio Monteiro Alves.

O planejamento era que no dia 28 de novembro, marcado para a eleição no Corinthians, o clube estivesse nos primeiros lugares no Brasileiro.

Não colado na zona do rebaixamento. 

Andrés está sendo forçado a mudar sua postura.

Se convencendo que não pode deixar o time nas mãos inexperientes de Coelho.

Ele vai ter de gastar.

E oferecer um contrato que vá muito além dos três meses que tem como presidente.

Algo que ele realmente não queria.

No planejamento corintiano, a classificação para a Libertadores é o grande objetivo desse Brasileiro.

Para isso é preciso uma reviravolta nos resultados.

O time já pedeu cinco de 11 jogos.

Tem 36,4% de aproveitamento.

E o time não reage.

Andrés está assustado.

Não há como dar o tempo que Coelho precisa.

O momento não é de apostas.

Não como o elenco limitado que o Corinthians possui.

Andrés voltará, de verdade, à busca de um técnico...

Últimas