Cosme Rímoli Daniel Alves apresentará quinta versão da acusação de estupro. A que estava bêbado. Mãe do jogador complica ainda mais a situação

Daniel Alves apresentará quinta versão da acusação de estupro. A que estava bêbado. Mãe do jogador complica ainda mais a situação

Com o julgamento se aproximando, a defesa do jogador tenta uma quinta versão para diminuir a pena da acusação de estupro. A de que ele estaria bêbado. A esposa Joana Sanz testemunharia a seu favor

  • Cosme Rímoli | Do R7

Defesa de Daniel Alves e a tese de que estaria embriagado. Para aliviar possível condenação de estupro
Defesa de Daniel Alves e a tese de que estaria embriagado. Para aliviar possível condenação de estupro Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Desmascarada a quinta versão para a acusação de estupro de Daniel Alves.

O jogador, que está preso em Barcelona, desde o dia 20 de janeiro de 2023, dará sua quinta versão da agressão sexual que é acusado na Espanha.

O jornal ARA conseguiu informações da estratégia da defesa do atleta para o julgamento, será alegar que o atleta estava embriagado, ou seja, não estaria apto psicologicamente, quando houve a relação sexual com a mulher de 23 anos que o acusa de estupro, no dia 30 de dezembro de 2022.

A testemunha-chave seria sua esposa, Joana Sanz, que já teria garantido colaborar. Ela afirmaria no julgamento que ele teria chegado em casa 'alterado'.

A opinião pública espanhola já está contra Daniel Alves.

Ele mudou suas versões como mudou de roupa na cadeia.

A primeira vez, ele disse que não conhecia a mulher que o acusa. Garantiu que nunca a viu.

Diante das imagens das câmeras da boate Sutton, registrando não só conversa entre os dois. Mas ambos dançando muito perto, se acariciando, e que os dois entraram juntos em um banheiro no camarote da danceteria, Daniel voltou atrás.

Admitiu que mentiu. Disse que era para preservar sua esposa. E que a conheceu, entrou no banheiro. Mas nada aconteceu.

Diante da descoberta do seu sêmen nas roupas da mulher de 23 anos, nova versão. A de que houve sexo oral, 'forçado' pela mulher.

Diante da descrença geral, a quarta versão: a de que houve relação sexual consentida.

Nas quatro anteriores, ele não falou uma palavra sobre álcool ou qualquer outra substância que alterasse sua capacidade de julgar se uma relação sexual é consentida ou não.

A antecipação do plano dos advogados de Daniel Alves é péssima, porque a promotoria já pode se preparar para a eventual alegação que o álcool teria afetado o comportamento do brasileiro.

A opinião pública espanhola segue contra o lateral. As evidências de violência sexual são muito fortes.

E o ato desesperado da mãe do jogador, Maria Lucia Alves, só piorou as coisas.

Ela quis mostrar que a mulher que acusa o filho de estupro, voltou à vida normal. E publicou vídeos dela dançando. 

E foi além.

Publicou seu nome completo.

Situação absurda, que fez com advogados da mulher de 24 anos ameaçassem Maria Lucia Alves de processo.

O ato da mãe do jogador só comprometeu ainda mais o atleta.

Porque foi visto com puro ato de vingança.

Maria Lucia pode ser punida inclusive no Brasil.

A União Brasileira de Mulheres pediu ao Ministério Público Federal para que seja aberta uma investigação criminal pela 'violência psicológica contra a mulher'. Caso aja condenação, a pena pode chegar a dois anos de prisão.

O pai de Neymar está ajudando financeiramente o ex-lateral da Seleção. Além de dar apoio jurídico.

O julgamento de Daniel Alves está marcado para acontecer entre 5 e 7 de fevereiro.

Ele pode ser condenado até 12 anos de prisão...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas