Conselho de Medicina questiona médico. E quer fim de treinos no Fla

Cremerj quer explicações de Márcio Tannure. Recomenda que treinos sejam suspensos. E ainda se coloca contra o retorno do futebol. Pelo coronavírus

Tannure terá de explicar. Por qual razão deu seu aval para volta dos treinos

Tannure terá de explicar. Por qual razão deu seu aval para volta dos treinos

Flamengo

São Paulo, Brasil

Outro forte baque na luta do Flamengo pela volta do futebol.

A notificação do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro a seu chefe do departamento médico, Márcio Tannure.

A direção do Cremerj quer explicações como, no auge da pandemia do coronavírus no Brasil, Tannure deu o aval médico para a volta dos treinos no Flamengo.

Só ontem, dia 28 de maio, morreram 1.156 pessoas. O total de óbitos no Brasil já é de 26.754.

Os termos da notificação são duros.

"Tendo em vista a recomendação das Câmaras Técnicas de Infectologia e Medicina Desportiva, e considerando o dispositivo no Código de Ética - Capítulo III - CFM, da Resolução CFM 2217/2018, em seu artigo 1º 'causar dano ao paciente, por ação e omissão, caracterizável por imperícia, imprudência ou negligência', bem como disposto o artigo 17º, 'deixar de cumprir salvo por motivos justo as normas emanadas pelo Conselho Regional de Medicina'."

Tannure também está na Comissão Especial de Saúde, criada pela Federação Carioca de Futebol, para preparar o protocolo para a volta do Campeonato Estadual.

A Câmara Técnica de Medicina Desportiva do Cremerj não deixa dúvidas sobre a sua avaliaçãos sobre a volta dos jogadores às equipes.

Cerca de 25% do elenco do Fla teve contato com o coronavírus. Nove jogadores

Cerca de 25% do elenco do Fla teve contato com o coronavírus. Nove jogadores

Flamengo

"Irresponsável e temerária a possibilidade do retorno das atividades dos clubes cariocas, neste momento, mesmo que em caráter de treinamento."

Se os treinos no Flamengo continuarem, Tannure responderá perante ao Cremerj por dar respaldo médico.

O  clube carioca reagiu.

Publicou uma longa nota oficial para defender seu médico.

"O Clube de Regatas do Flamengo vem a público esclarecer que a opção de manter o Centro de Treinamento de Futebol Profissional em sistema de “soft open”, isto é, parcialmente aberto, apenas para atividades de fisioterapia e recuperação fisiológica, decorre de decisão administrativa, baseada nos termos jurídicos do Decreto Municipal 47.282/2020.

O Flamengo está seguro quanto às atividades realizadas no seu CT, visto que, além de o Clube não ter infringido qualquer ordenamento legal, estabeleceu, ainda, um rígido protocolo de segurança e de caráter sanitário, que está sendo rigorosamente seguido por todos os profissionais que estão trabalhando no local, a fim de se evitar o contágio pelo novo coronavírus.

(...) Informamos que o Clube irá auxiliar o Dr. Márcio Tannure, chefe do Departamento Médico de Futebol do Flamengo, no esclarecimento de todos os questionamentos do CREMERJ para sanar quaisquer dúvidas porventura existentes.

"Por fim, embora tenha sido uma opção que se baseou na análise jurídica da legislação, agradecemos ao Dr. Tannure pelo brilhante trabalho que realizou ao desenvolver o protocolo de segurança dos funcionários e atletas do Flamengo."

E vai seguir com os treinamentos.

O que pode trazer sérios problemas para Tannure junto ao Cremerj.

O clube já teve seu massagista Jorginho morto pelo coronavírus.

E nove atletas infectados.

Mais de 25% de seu elenco.

O Flamengo perdeu seu massagista Jorginho. Morreu com coronavírus

O Flamengo perdeu seu massagista Jorginho. Morreu com coronavírus

Reprodução Twitter

Além de não recomendar treinos, o Conselho Regional não quer a volta do futebol no Rio de Janeiro.

E responsabiliza os médicos que autorizarem o retorno do esporte, em plena pandemia.

O que pode complicar os planos da Ferj.

E, principalmente, do Flamengo...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Messi Japonês? Conheça quem é a nova sensação do futebol mundial