CBF se curva diante do Flamengo. Bem diferente de Santos e Athletico

O clube mais popular do país, líder do Brasileiro, teve a coragem de enfrentar a CBF. E tirou, na marra, Reinier da Copa do Mundo sub-17

Flamengo venceu a CBF. Reinier não foi para a Copa do Mundo para jogar o Brasileiro

Flamengo venceu a CBF. Reinier não foi para a Copa do Mundo para jogar o Brasileiro

Flamengo

São Paulo, Brasil

Enfrentar o Santos e o Athletico Paranaense é uma coisa.

Outra, bem diferente, é o Flamengo.

A CBF teve de se dobrar diante de toda força política do clube carioca.

A mando do presidente Rodolfo Landim, o departamento jurídico do clube acabou com a farra das convocações de jogadores para torneios que não envolvam a seleção principal.

A Fifa deixa claro que os clubes são obrigados a liberarem seus atletas quando os selecionados principais dos países. Quando houver amistosos na data Fifa. Ou campeonatos oficiais. 

Mas não diz nada em relação às seleções de base.

Santos e Athletico Paranaense se apegaram ao escudo jurídico que liberaria Rodrygo e Renan Lodi do torneio de Toulon. Ambos foram convocados, mas seus clubes não os liberaram. Precisavam dos dois no Brasileiro e na Copa do Brasil.

A CBF não os desconvocou.

Os dirigentes ficaram temerosos em escalá-los, mesmo com inúmeros pareceres jurídicos confirmando a legalidade de colocá-los em campo.

E recuaram diante da intransigência da CBF.

A postura de Rogério Caboclo vem dos vexames nas seleções de base. O Brasil já não vence uma Copa do Mundo desde 2002. Passar vergonha, como não se classificar para dois Mundiais sub-20 seguidos, foi demais para o presidente.

Só que se a entidade não tomou conhecimento dos apelos do Santos e do Athletico Paranaense, em junho, desta vez se deu muito mal com o Flamengo.

O clube não cedeu o atacante Reinier para a Copa do Mundo sub-17, competição muito mais importante do que o torneio de Toulon.

A CBF ainda tentou manter a convocação.

Mas o Flamengo anunciou que não o liberaria, o escalaria e se houvesse punição, brigaria na justiça em todas as instâncias.

O que poderia ser um caos para o Campeonato Brasileiro, liderado pelo clube mais popular do país.

Para a TV Globo, dona do monopólio no torneio na tevê aberta, seria um vexame grande demais, o Brasileiro ser decidido no tapetão.

Daí o recuo da CBF.

Pedro Luan do Grêmio foi chamado no lugar de Reinier.

Só que o departamento jurídico do Flamengo não quer deixar brecha para que seus adversários entrem na justiça, alegando que a escalação do garoto é irregular.

Rodrygo não teve nem a chance de se despedir do Santos. Intransigência da CBF

Rodrygo não teve nem a chance de se despedir do Santos. Intransigência da CBF

Santos

Por isso, o clube carioca ingressou no STJD com Medida Inominada com pedido de tutela de urgência para contar com o meia nas rodadas do Campeonato Brasileiro entre 16 de outubro e 10 de novembro, quando acontece a Copa do Mundo.

O presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, avisou a CBF que deverá até hoje liberar Reinier para jogar normalmente pelo Flamengo.

O clube carioca terá a liminar, garantem os dirigentes jurídicos na Gávea.

E o meia entrará em campo.

Foi uma demonstração de força e de inteligência jurídica.

A CBF não quis enfrentar o Flamengo.

E nem criar uma zona de conflito com a Globo.

A convocação de Pedro Luan foi simbólica.

O Athletico Paranaense não teve como enfrentar a CBF por Renan Lodi

O Athletico Paranaense não teve como enfrentar a CBF por Renan Lodi

Reprodução/Instagram

Por isso, Rogério Caboclo tenta, desesperadamente, que a Fifa torne obrigatórias as liberações de jogadores para as seleções de base e não apenas para a principal.

Mas enquanto isso não acontece, quem tem força politicamente se impões.

O Santos e o Athletico fracassaram.

O Flamengo se impôs.

Reinier virou as costas à Copa do Mundo sub-17.

E estará jogando o Brasileiro.

Porque os dirigentes da Gávea se impuseram...

Neymar sofreu 15 lesões desde que chegou à Europa. Relembre todas