Cosme Rímoli A caótica CBF teve o que mereceu. Perdeu Ancelotti para a Copa de 2026. Italiano fugiu da seleção sem rumo. E renovou com o Real

A caótica CBF teve o que mereceu. Perdeu Ancelotti para a Copa de 2026. Italiano fugiu da seleção sem rumo. E renovou com o Real

Como o blog havia antecipado há três semanas, Ancelotti se livrou da promessa feita a Ednaldo Rodrigues. Destituído da presidência da CBF, Ednaldo livrou o italiano do compromisso. Seleção mergulha no caos

  • Cosme Rímoli | Do R7

 Ancelotti se livrou da promessa que havia feito a Ednaldo. Nada da caótica CBF. Mais dois anos no Real Madrid

Ancelotti se livrou da promessa que havia feito a Ednaldo. Nada da caótica CBF. Mais dois anos no Real Madrid

Real Madrid

São Paulo, Brasil

"CBF sem presidente faz Ancelotti desistir da seleção brasileira.

"E encaminhar renovação com o Real Madrid."

Essa foi a manchete do post mais importante deste blog, no dia 8 de dezembro. 

Há 21 dias, portanto.

A informação veio do próprio estafe do destituído presidente Ednaldo Rodrigues.

A notícia se confirmou hoje, com a renovação de mais dois anos de Carlo Ancelotti com o Real Madrid.

Nada de Copa do Mundo de 2026.

Nada de seleção brasileira.

A confirmação da notícia chegou de maneira conformada a Ednaldo e seus aliados. O ex-presidente havia avisado que tinha liberado Ancelotti da palavra empenhada em assumir o Brasil em 2024.

Tudo havia sido acertado logo depois da quinta Copa do Mundo fracassada do Brasil. A segunda em seguida em que o país sucumbiu nas mãos de Tite. 

Ednaldo decidiu que iria buscar o "melhor técnico do mundo". E fez a proposta a Ancelotti. Dois anos comandando o Brasil, entre 2024 e 2026, até o Mundial.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Só que a empolgação do italiano foi diminuindo rapidamente, diante de uma análise mais profunda. Neymar, em plena decadência, ainda continuará como jogador privilegiado na CBF. A geração de atletas é média, sem protagonistas. Vinicius Jr. e Rodrygo, seus atletas, ainda estão no processo de maturação entre os melhores do mundo.

Ancelotti estava muito indeciso, até que houve a queda de Ednaldo. Sua eleição foi considerada irregular. Ele acabou tirado do cargo. Foi nomeado um interventor, José Perdiz. 

Os ex-presidentes banidos da CBF, Marco Polo del Nero e Ricardo Teixeira, são apontados como os articuladores da queda.

Ednaldo e seus assessores entraram em contato com a Fifa e ressaltaram a intervenção da Justiça comum na esportiva. A cúpula da entidade que controla o futebol no mundo, com a cumplicidade da Conmebol, decidiu vir ao Brasil.

Com Diniz, vieram vexames. Empate com Venezuela. Derrotas contra Uruguai, Colômbia, Argentina

Com Diniz, vieram vexames. Empate com Venezuela. Derrotas contra Uruguai, Colômbia, Argentina

Montagem R7/ Carl De Souza / AFP - 21.11.2023; Daniel Ramalho / AFP - 21.11.2023

E, com a ameaça de proibir a seleção e os clubes de disputarem torneios internacionais, a Fifa quer a volta de Ednaldo. E impedir nova eleição na CBF.

Ancelotti, que já não via com bons olhos a escolha de Fernando Diniz como treinador interino, até sua chegada, por causa da filosofia completamente diferente da sua, percebeu o caos em que mergulharia.

Se mantivesse sua palavra a Ednaldo, poderia sair do clube mais rico e poderoso do mundo, o Real Madrid, para assumir a seleção brasileira, com possibilidade de demissão, se Ednaldo fosse afastado pela Justiça.

Destituído, o dirigente baiano não tinha condições de exigir nada do italiano.

E o acordo foi desfeito.

Ancelotti e o Real Madrid celebram a renovação por dois anos.

O compromisso é mais uma desmoralização na história da seleção brasileira, que está completamente sem rumo para o Mundial de 2026.

E que fez de 2023 seu ano mais constrangedor.

Com o sexto lugar nas Eliminatórias.

Vexames e vexames em amistosos.

Ricardo Teixeira e Marco Polo del Nero são apontados, na CBF, pela articulação da intervenção

Ricardo Teixeira e Marco Polo del Nero são apontados, na CBF, pela articulação da intervenção

CBF

O sonho, como a famosa peça de Samuel Beckett Esperando Godot, virou constrangimento.

No espetáculo, dois palhaços esperam o personagem Godot, que resolveria todos os problemas existenciais da dupla. E ele nunca chega.

Não há a menor certeza do que acontecerá na CBF.

A Fifa quer a volta de Ednaldo.

O interventor Perdiz promete recorrer à Justiça comum, outra vez, e paralisar a entidade.

Forçar uma nova eleição.

Ednaldo não tinha outro alvo sem ser Ancelotti.

O trabalho de Diniz é um fracasso na seleção.

O futebol brasileiro termina 2023 no fundo do poço.

Ancelotti fez o óbvio, para sua carreira vencedora.

Livrou-se da caótica CBF.

Desfrutará mais dois anos no Real Madrid.

Nada mais previsível...

Neymar, Gabigol e Botafogo puxam a lista de decepções do futebol brasileiro em 2023

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas