Cosme Rímoli A caminho dos 33 anos, Pato fala em voltar ao Brasil. Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Inter não querem nem ouvir seu nome

A caminho dos 33 anos, Pato fala em voltar ao Brasil. Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Inter não querem nem ouvir seu nome

Alexandre Pato está jogando na fraca Liga Norte-Americana. Ofereceu-se ao Milan. Clube italiano o 'deixou no vácuo'. E agora ele afirma que retornaria ao futebol brasileiro. Mas deixou muitas portas fechadas

  • Cosme Rímoli | Do R7

Membros de organizada do Corinthians ameaçaram 'quebrar as pernas' de Pato. Ele foi ao São Paulo

Membros de organizada do Corinthians ameaçaram 'quebrar as pernas' de Pato. Ele foi ao São Paulo

Corinthians

São Paulo, Brasil

Internacional, Corinthians e São Paulo.

Os três clubes pelos quais Alexandre Pato jogou no Brasil não querem nem ouvir falar do atacante.

E até no Palmeiras, clube onde jamais atuou, seu nome provoca irritação.

O jogador de 32 anos, com contrato com o Orlando City, da Liga Norte-Americana de Futebol, vem repetindo estar disposto a voltar ao futebol brasileiro.

Isso, depois de se oferecer de forma absoluta ao Milan, onde atuou por cinco anos. 

"O Orlando está bem, e ainda tenho contrato, mas Maldini sabe disso: estaria pronto. Agora amadureci, tenho uma atitude diferente em relação ao futebol e talvez seja útil no relacionamento com os jogadores mais jovens."

Paolo Maldini, ex-jogador da seleção italiana, e um dos grandes ídolos do Milan, é hoje diretor técnico da equipe italiana. E é um dos donos do Miami FC, equipe dos Estados Unidos.

Só que a declaração de Pato ao popular jornal Gazzetta dello Sport não teve a menor repercussão na Itália, no Milan, e não comoveu Maldini.

Assim como os ex-clubes brasileiros estão longe de se animar quando o nome do atacante é citado. Ele deixou as portas fechadas no Parque São Jorge, no Morumbi e no Beira-Rio.

O jogador, que fará 33 anos, é um caso raro.

Apesar de seu potencial, acabou prevalecendo a aura de antipatia e relacionamento frio com as camisas que vestiu no Brasil.

Sua passagem pelo Corinthians foi uma tremenda decepção, além de implodir o ambiente do time campeão da Libertadores e do Mundial.

Com salário maior que o de todos os atletas que conquistaram os dois títulos, ele não se importou em se enturmar. Ficou claro para os jogadores, e até para o técnico Tite, que Pato só se preocupava consigo mesmo e em tentar disputar a Copa de 2014. O que não conseguiu.

Pato demonstrava amor ao São Paulo. Saiu, deixando péssima recordação aos dirigentes

Pato demonstrava amor ao São Paulo. Saiu, deixando péssima recordação aos dirigentes

Reprodução/Instagram Pato

O seu pior momento foi a tentativa ridícula de cavadinha quando o Corinthians disputava a vida na Copa do Brasil. Acabou recuando a bola no peito de Dida. Havia companheiros de time dispostos a bater no atacante. A situação foi deprimente.

Depois de ter sido ameaçado por alguns membros das organizadas de ter "suas pernas quebradas", em uma invasão do CT corintiano, foi para o São Paulo.

Depois de uma boa passagem de 2014 a 2016, quando quis voltar para a Europa, ele retornou em 2019. Saiu em 2020, em baixa. Muito criticado pelo péssimo desempenho e por não se envolver com o elenco, terminou como reserva de Pablo. Fernando Diniz estava absolutamente "cansado" de tentar recuperar o futebol do atacante.

Pato negociou com o Internacional, que buscava um substituto para Paolo Guerrero. Quando soube que o clube gaúcho oferecia metade do R$ 1 milhão que recebia no São Paulo, desistiu de voltar ao clube que o lançou como jogador profissional.

Com o Corinthians, Pato não teve mais contato, nem mesmo nas redes sociais.

No São Paulo, por coincidência, lógico, ele fez questão de postar "boa noite" assim que o clube empatou com o Palmeiras e perdeu a chance de ser campeão brasileiro, em fevereiro de 2021. 

Não foram só torcedores que ficaram revoltados. Dirigentes do clube perceberam a estocada do jogador.

No início de março deste ano, mal foi confirmada a eliminação do Internacional na Copa do Brasil, diante do Globo, time do Rio Grande do Norte, por "coincidência", Pato postou três emojis sorridentes no Twitter.

A mesma reação irada da torcida. E muita mágoa dos dirigentes do clube onde "nasceu para o futebol".

Pato não quis voltar ao Inter

Pato não quis voltar ao Inter

Internacional

Os dirigentes do Palmeiras não querem nem ouvir falar em Pato.

Em 2019, antes de fechar com o São Paulo, ele havia negociado e deixado mais do que encaminhada a sua ida para o Palestra Itália. Só que, na última hora, com tudo acertado, mudou de ideia e foi para o Morumbi.

Essas quatro passagens são amplamente conhecidas por dirigentes dos grandes clubes deste país.

Assim como a decadência técnica do atacante.

O silêncio do Milan é uma grande resposta também.

Por isso, a lógica recomenda que ele siga no Orlando City.

No fraquíssimo futebol americano, paraíso de veteranos.

No Brasil, o nome de Alexandre Pato não anima dirigentes de grandes clubes.

Há muito tempo...

Veja quantos jogos já fez cada reforço do Corinthians em 2022

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas