Presidente do Grêmio revela que fez consulta, mas descarta contratar Cavani

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Junior, confirmou nesta quarta-feira que o clube entrou em contato com o atacante uruguaio Edinson Cavani há "tempos atrás", mas descartou qualquer possibilidade de negociação no momento. O dirigente não especificou há quanto tempo o contato foi feito, no entanto disse que não foi por videoconferência.

"O atrelamento do Cavani ao Grêmio é cultural. Tem tudo a ver. Não foi do Grêmio que saiu essa informação. Tempos atrás fizemos uma consulta, não por videoconferência. Conversamos com o Cavani, ele debatia com outros clubes. Não é o Grêmio que competirá com clubes da Europa. Vamos voltar para a racionalidade. Não quero frustrar ninguém. Se um dia tivermos como fazer uma aquisição dessas, teremos o maior prazer. Mas, nesse momento, o jogador negocia na Europa, não temos como avançar. Pés no chão", explicou Bolzan, em entrevista coletiva.

Isso porque, na última semana, o jornalista argentino Sebástian Srur, da rádio Continental, da Argentina, cravou que o Grêmio teria acertado a contratação de Cavani. Ele chegaria a Porto Alegre na última segunda-feira. No entanto, o atacante não apareceu. Uma pessoa próxima ao jogador negou a veracidade da informação.

"Se o Cavani fizer a opção de vida de jogar na América do Sul, até podemos conversar. Aí é o desejo do Grêmio, como qualquer outro clube mundial. Se um dia o Cavani quiser aliar seu projeto pessoal com esportivo, vamos tentar um grande projeto, com esforço do clube, torcida e patrocínios. Agora veja bem: não é o que temos no momento. A única forma de algum assunto é ele manifestando o desejo de vida. Não vejo como uma situação possível", completou Bolzan.

Cavani está livre no mercado desde o término de seu contrato com o Paris Saint-Germain, em junho passado. Até o momento, três clubes europeus manifestaram interesse no jogador. São eles a Juventus, da Itália, o Atlético de Madrid, da Espanha, e o Benfica, de Portugal.