Por coronavírus, elenco do Borussia Mönchengladbach renuncia parte dos salários

O elenco do Borussia Mönchengladbach, atual quarto colocado do Campeonato Alemão, anunciou nesta quinta-feira que renunciou a parte de seus salários por causa da pandemia do novo coronavírus, denominado Covid-19. A ação foi revelada pelo diretor esportivo do clube, Max Eberl, que disse que atitude semelhante foi tomada pelo técnico Marc Rose e por toda a comissão técnica.

"Estou muito orgulhoso dos jogadores. Estão com o Borussia nos bons e nos maus momentos. Quiseram devolver algo ao clube e também aos torcedores que tanto os apoiam", afirmou o dirigente.

A atitude dos atletas representa para o clube uma economia de cerca de um milhão de euros por mês (cerca de R$ 5,5 milhões). Este valor vai ajudar a instituição a manter o pagamento salarial de outros funcionários do clube.

Stephan Schippers, diretor financeiro do Borussia Mönchengladbach, afirmou recentemente que cada partida disputada com portões fechados representava para o clube 2 milhões de euros (R$ 11 milhões) a menos em sua receita. Com a pandemia e a paralisação dos jogos, o prejuízo é ainda maior.

"O objetivo do Borussia Mönchengladbach é superar a crise do coronavírus sem a necessidade de ter de fazer demissões", afirmou Schippers.

Na quarta-feira, em uma conferência de imprensa digital, o diretor esportivo da Federação Alemã de Futebol (DFB, na sigla em alemão), o ex-atacante Oliver Bierhoff, anunciou que a seleção da Alemanha doará 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 14 milhões) para ajudar no combate ao coronavírus.

"Nós, como equipe nacional, rapidamente decidimos liberar ajuda de emergência para enviar um sinal e deixar claro que estamos demonstrando solidariedade e que queremos apoiar as pessoas", afirmou o dirigente.