Polícia investiga suposto compartilhamento de fotos do acidente de Kobe Bryant

As autoridades de Los Angeles estão investigando policiais que teriam compartilhado fotos da cena do acidente de helicóptero, de 26 de janeiro, que vitimou o astro do basquete Kobe Bryant e sua filha Gianna, de 13 anos, além de outras sete pessoas.

O jornal Los Angeles Times informou que uma fonte da Segurança Pública, sob condição de anonimato, afirmou ter visto fotos no telefone de outro funcionário, que mostram o local do acidente e os restos mortais das vítimas. Maria Lucero, chefe da polícia de Los Angeles, afirmou que o "caso está sendo analisado".

Segundo o jornal, não está claro o quanto as fotos poderiam ter sido divulgadas e também se os policiais teriam tirado as fotos ou se haviam recebido de outras pessoas. O capitão Jorge Valdez, porta-voz do departamento de polícia, disse que as famílias das vítimas foram informadas.

Além de Kobe e Gianna, também foram mortos no acidente John Altobelli, técnico de beisebol do Orange Coast College, sua esposa, Keri, e sua filha Alyssa; Christina Mauser, técnico do time de basquete feminino; e Sarah Chester e sua filha Payton, companheira de equipe de Gianna. Além do piloto Ara Zobayan.

O Departamento de Medicina Legal de Los Angeles informou que os corpos das nove vítimas foram recuperados e evacuados do local do acidente, em Calabasas, cidade nos arredores de Los Angeles. Segundo o comunicado, os restos mortais de três vítimas foram resgatados no próprio domingo, dia do acidente, e das outras seis, no dia seguinte.