Plataforma oferece a fãs mensagens personalizadas de seus ídolos do esporte

A pandemia do novo coronavírus causou certo distanciamento dos torcedores em relação aos atletas e jogadores que admiram. Sem jogos e com os treinamentos feitos em casa e de forma individual, algumas alternativas começaram a surgir para manter o engajamento e, ao mesmo tempo, ajudar causas sociais.

Como alternativa, diversos esportistas se tornaram mais ativos em suas redes sociais. Pensando nisso, a iniciativa "IdoloMio" foi criada para proporcionar que personalidades do esportes mandem mensagens feitas exclusivamente aos torcedores que contribuírem com valores definidos pela plataforma.

Os atletas que fazem parte do projeto participam das mais diversas modalidades. O futebol, o esporte mais popular do mundo, não está de fora. Ex-jogadores como Zico e Alex são alguns dos destaques, além também do lateral-direito Rafinha, do Flamengo. Magic Paula, ex-jogadora de basquete, Thaísa Menezes, bicampeã olímpica de vôlei, e o piloto Rubens Barrichello também são grandes nomes presentes na plataforma.

Ao entrar no site, os torcedores poderão decidir qual o esportista que deseja que grave a mensagem e se é para si mesmo ou para um terceiro. Cada esportista tem um preço pré-definido, que pode variar de R$ 149 a R$ 299. Os valores arrecadados podem ser destinados tanto para entidades escolhidas pelo próprio atleta, como também para o G10 das Favelas, grupo que visa ajuda econômica e social de comunidades.

O projeto é uma iniciativa da empresa ESM Sports Business e os interessados podem entrar no site www.idolomio.com, podendo escolher o conteúdo da gravação, que será enviada por e-mail em até sete dias após a confirmação do pagamento. O atleta escolhido também poderá publicar o vídeo em suas próprias contas pessoais.

"A ESM neste momento é pioneira no que diz respeito à mobilização de personalidades esportivas para ajudar as pessoas que mais precisam. Para nós, é um exemplo de solidariedade que ajuda a inspirar não só empresas como outros esportistas a fazer algo por comunidades neste momento tão difícil", disse Gilson Rodrigues, coordenador nacional do G10 Favelas, em comunicado oficial.