Esportes Pia aposta em 'pernas frescas' para garantir classificação da seleção em Tóquio

Pia aposta em 'pernas frescas' para garantir classificação da seleção em Tóquio

Nem Marta, nem Formiga, nem Debinha. O grande diferencial da seleção brasileira de futebol feminino até aqui é o plantel. É com essa carta na manga que a treinadora sueca Pia Sundhage pretende cumprir a meta de classificar o Brasil na fase de grupos da Olimpíada de Tóquio-2020 na partida desta terça-feira, às 8h30 (de Brasília), contra a Zâmbia, no Saitama Stadium e, assim, focar a preparação de olho nas etapas eliminatórias.

"É uma fórmula para a vitória conseguir usar as jogadoras do banco de reservas. Sempre que entram, elas estão mudando o jogo e fico muito feliz com isso", afirmou a técnica.

Apesar de ter a mesma campanha da Holanda (uma vitória e um empate), o Brasil figura na segunda colocação por ter um saldo de gols inferior nas duas rodadas disputadas (5 a 7). Com quatro pontos, um simples empate é suficiente para as brasileiras chegarem às quartas de final.

Preocupada em manter a motivação de todas as jogadas em alta, Pia chegou a destacar as meninas que vêm fazendo a diferença. "A Angelina, a Ludmila, a Geyze foram exemplo disso na última vez. É um momento da competição em que podemos usar pernas frescas. Temos 22 boas jogadoras e o fato de que algumas ainda não jogaram vai permitir que elas entrem e façam um bom jogo", completou.

Com oito gols marcados nos Jogos de Tóquio, a distribuição das artilheiras foi dividida em cinco peças. Marta lidera essa relação com três gols. Debinha vem logo atrás com duas bolas na rede enquanto Ludmila, Andressa Alves e Bia Zaneratto completam a lista. "É muito importante que todas estejam jogando. Isso significa que estar no banco é se preparar para entrar".

Apesar da fragilidade defensiva das africanas (levaram 14 gols em duas partidas), uma jogadora em especial está sendo observada. Barbara Banda anotou seis dos sete gols que a sua seleção fez no torneio. Aos 21 anos, a jogadora é a primeira mulher a marcar dois hat-tricks consecutivos em Jogos Olímpicos. "Nossa defesa será um pouco diferente. Banda é uma ótima jogadora. Marcar tantos gols em dois jogos é fantástico. Então precisamos ajustar nossa defesa de uma forma especial", comentou.

A última atividade antes da partida contra a Zâmbia foi aberta para a imprensa. Após o aquecimento, o plantel foi dividido em duas partes: enquanto um grupo trabalhou em espaço reduzido, o restante fez um trabalho leve com bola.

A zagueira Rafaelle, uma das líderes da equipe, destacou o trabalho psicológico que vem deixando o elenco mais tranquilo e confiante. "Estamos evoluindo bastante. Acho que isso é nítido para todo mundo. Mas também é fruto do trabalho da Pia à frente do grupo", encerrou.

Últimas