Esportes Permanência de George Russell na próxima temporada será difícil, avalia Williams

Permanência de George Russell na próxima temporada será difícil, avalia Williams

George Russell segue bem avaliado no mercado de pilotos. E isso não representa uma boa notícia para a Williams, escuderia onde o britânico corre desde que chegou ao circo da Fórmula 1. A equipe, internamente, avalia que a permanência do piloto para a próxima temporada é difícil.

Elogiado frequentemente por analistas da maior categoria do automobilismo mundial, o britânico de 23 anos teve a oportunidade de substituir, na Mercedes, o heptacampeão Lewis Hamilton no GP de Sakhir de 2020, quando seu compatriota teve detectada infecção pelo novo coronavírus. Na ocasião, Russell arrancou novos aplausos, apesar de terminar a prova na nona posição.

Jost Capito, CEO da Williams, se colocou no lugar do britânico e afirmou que um convite da escuderia alemã para Russell seria impossível de negar. "Se um piloto recebe uma proposta da Mercedes na situação atual, há pouquíssimas alternativas. George Russell é um talento excepcional, quanto a isso não há dúvidas. Está envolvido no desenvolvimento de jovens da Mercedes faz muito tempo e reconheceram seu talento desde o princípio", explicou o dirigente, que também avaliou como o piloto pode ajudar nas melhorias dos carros da Williams.

"Conseguir mantê-lo ou não depende, em grande medida, das ofertas que ele terá, mas também de como trabalhamos com ele agora e de como evoluirá o desenvolvimento do carro de 2022", finalizou o CEO da escuderia.

Neste momento, quem mais se sente ameaçado pela chegada de George Russell é o finlandês Valtteri Bottas. Sem conseguir acompanhar o mesmo ritmo do companheiro Lewis Hamilton, o atual vice-campeão mundial é alvo de críticas frequentes por seu desempenho e não dificultar o trabalho do inglês como seu antecessor, o alemão Nico Rosberg.

Recentemente, por meio da série documental da Netflix "Drive to survive" ("Dirigir para viver", na versão em português), Bottas revelou ter pensado em largar a Fórmula 1, após se ver obrigado, diante de pedido da escuderia alemã, a ceder a liderança do GP da Rússia de 2018 para Hamilton, que viria a conquistar na ocasião seu quinto título mundial.

George Russel terá a sua terceira temporada pela Williams em 2021. Nos dois anos anteriores, o jovem britânico não conseguiu pontuar. Sua melhor posição em uma prova pela equipe de Grove foi o 11.º lugar nos GPs da Toscana, em 2020, e da Alemanha, em 2019. A nova temporada da Fórmula 1 terá a sua estreia no próximo domingo com o GP do Bahrein.

Últimas