Esportes Pensando no futuro, Palmeiras joga no Mundial para elevar moral na Copa do Brasil

Pensando no futuro, Palmeiras joga no Mundial para elevar moral na Copa do Brasil

O Palmeiras encerra nesta quinta-feira, ao meio-dia (horário de Brasília), a participação no Mundial de Clubes com o objetivo de voltar ao Brasil com o moral elevado para a final da Copa do Brasil diante do Grêmio - o primeiro jogo está marcado para o fim do mês. Antes de encarar as mais de 12 horas de viagem, o time decide no Catar o terceiro lugar do torneio contra o Al Ahly, do Egito, disposto a esquecer a derrota de domingo.

A queda na semifinal diante do Tigres fez o Palmeiras amargar a primeira eliminação nesta temporada e a ter pouco tempo para lamentar. A equipe procurou superar logo a derrota, pois sabe que ainda neste mês terá mais seis jogos pela frente no Brasil, incluindo um já no próximo domingo contra o Fortaleza, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro.

"Não era o que queríamos (disputar o terceiro lugar), mas é onde estamos. Vamos entrar em campo para fazer o melhor e vencer. As coisas não saíram bem, mas jogamos para vencer todos os jogos. Vamos em busca da vitória para voltar ao Brasil e seguir na temporada", disse o goleiro Weverton.

Um dos líderes do elenco, o jogador ressaltou que o Palmeiras não pode se abater pela frustração de estar fora da decisão e precisa se lembrar que está no Mundial porque conseguiu o direito ao conquistar a Libertadores. "Chegamos porque fomos campeões, fizemos uma grande temporada, isso nos trouxe até aqui. Isso nos dá muito orgulho do que temos feito", comentou.

O técnico Abel Ferreira indicou o plano de fazer algumas mudanças no time titular, mas não revelou quais. As alterações devem ser feitas para evitar o desgaste.

Tanto nas entrevistas como nas conversas com os jogadores, o português quer passar o recado de que a derrota para o Tigres não pode tirar a confiança do time. Por isso, encerrar a campanha em alta será útil para a retomada dos trabalhos no Brasil. "A mim, sempre ensinaram que é melhor ficar à frente do que atrás. Vamos lutar pelo terceiro lugar. Não era o que queríamos, mas é pelo que lutamos", afirmou.

O terceiro lugar no Mundial ainda vale para o clube a premiação de R$ 13,5 milhões, paga pela Fifa. Se perder para o time egípcio, o Palmeiras retorna para São Paulo com R$ 10,8 milhões pelo quarto lugar.

Ganhar o jogo significa também honrar a tradição sul-americana de pelo menos terminar o Mundial de Clubes com o terceiro lugar. Todos os campeões da Libertadores derrotados na semifinal conseguiram pelo menos voltar para a casa com uma vitória na partida de despedida.

BAIXAS - A equipe egípcia terá desfalques para o jogo por causa de um incidente inusitado. Os atacantes Mahmoud Kahraba e Hussein El-Shahat foram punidos pela Fifa por violarem o protocolo contra novo coronavírus. Após a derrota na semifinal para o Bayern de Munique, os dois foram à arquibancada cumprimentar o ídolo do clube, o ex-meia Mohamed Aboutrika, que estava na torcida.

A aproximação com pessoas de fora da bolha dos clubes desrespeitou as recomendações de segurança e os dois acabaram excluídos da delegação. Os dois foram titulares na semifinal. El-Shahat, inclusive, marcou o gol do time na estreia no Mundial, contra o Al-Duhail, do Catar.

Últimas