Esportes Pandemia estraga aniversário de 160 anos do clássico mais antigo do mundo

Pandemia estraga aniversário de 160 anos do clássico mais antigo do mundo

Muito antes de Corinthians e Palmeiras serem criados e se tornarem rivais no Brasil, dois times vizinhos na cidade de Sheffield, na Inglaterra, já sabiam como ninguém o que era disputar clássico na mesma cidade. Uma pena que exatos 160 anos depois do primeiro encontro da história entre Sheffield FC e Hallam não será possível realizar qualquer tipo de evento para celebrar o dérbi mais antigo do mundo de que se tem notícia. A pandemia do novo coronavírus e a agenda incompatível obrigam os dois times semiprofissionais a terem de celebrar a data só pelas redes sociais.

O Sheffield foi fundado em 1857 e carrega a honra de ser reconhecido pela Fifa como o time mais antigo do mundo. Seus dirigentes foram os primeiros a redigir um esboço das regras do futebol, como se tem hoje com todas as mudanças já ocorridas. Até então, em cada região se praticava a modalidade de uma maneira e sem a devida formalização. "Publicamos a primeira cartilha de regras da história, que serviram como base para a criação oficial, seis anos depois, da Associação Inglesa e do código que norteia o futebol até hoje", explicou o presidente do clube, Richard Tims.

A criação do Sheffield despertou em 1860 o plano de um grupo praticante de críquete a fundar um rival, o Hallam. Então, em 26 de dezembro daquele ano os dois times vizinhos combinaram de jogar uma partida no chamado Boxing Day, feriado tradicional na Inglaterra. O local escolhido foi a casa do Hallam, o estádio de Sandygate, que inclusive existe até hoje. O Sheffield ganhou por 2 a 0. A cidade tem ainda dois times mais famosos: Sheffield United e o Sheffield Wednesday.

O encontro entre os dois é conhecido como o "Clássico das regras" por ter ajudado a popularizar e a fixar a cartilha criada pelos dirigentes do Sheffield anos antes. Segundo o diretor do Hallam, Ian Jones, o clássico de 1860 já apresentava algumas normas parecidas às atuais. A principal delas era o gol já ser demarcado por duas traves na vertical, mesmo que sem a existência do travessão.

"Na época era permitido ter até 18 jogadores de cada lado. Escanteios, laterais e mudança de lado ao fim do primeiro tempo só foram formalizadas depois", contou Jones. Assim como havia a cartilha de regras usada em Sheffield, ao mesmo tempo surgiram na Inglaterra times que utilizam outras normas. Em outros locais do país as equipes permitiam até utilizar as mãos para fazer gols.

Ao longo da história a quantidade de encontros entre os rivais diminuiu bastante. Pela contagem do Hallam FC, foram realizados 101 jogos. O último deles foi no meio do ano passado, em amistoso vencido pelo Sheffield por 4 a 0. Os clubes disputam divisões diferentes no futebol inglês e só conseguem se encontrar em partidas festivas. O Sheffield disputa o equivalente ao oitavo escalão, enquanto Hallam está no 10º. Não será possível realizar um jogo neste ano por incompatibilidade de calendário.

O Hallam, inclusive, se licenciou de algumas competições nesta temporada por causa da pandemia. E, se não fosse a covid-19, alguns eventos seriam realizados para festejar o 160º aniversário do clássico. "Nós tínhamos preparado uma camisa comemorativa que seria vendida no Natal. Mas não temos dinheiro para investir nisso. Até desmarcamos um jantar de aniversário que teria a presença de vários convidados de outras cidades", explicou Jones.

Atualmente os dois times convivem em paz e longe de terem uma rivalidade que signifique briga de torcidas ou agressões em campo. Até mesmo é bem comum jogadores trocarem um clube pelo outro. Se festas e jogos estão cancelados neste dezembro, pelo menos o plano é ativar publicações em redes sociais. "O mais importante para nós é cuidar da nossa história pelos próximos anos. Os dois clubes têm muito orgulho da trajetória. Depende de nós trabalhar para manter essa memória viva", contou o diretor do Hallam FC.

Últimas