Esportes Organizadores dos Jogos de Tóquio obtêm 'acordo básico' com 68 patrocinadores

Organizadores dos Jogos de Tóquio obtêm 'acordo básico' com 68 patrocinadores

As autoridades dos Jogos Olímpicos de Tóquio chegaram a um "acordo básico" com os 68 patrocinadores japoneses para estender seus contratos para o próximo ano, quando serão disputadas as competições, por causa da pandemia da covid-19.

Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador dos Jogos, disse, nesta quinta-feira, em entrevista coletiva online que as novas contribuições irão "exceder" US$ 210 milhões (cerca de R$ 1,1 bilhão) para preencher as lacunas orçamentárias.

Patrocinadores japoneses contribuíram antecipadamente com o valor recorde US$ 3,3 bilhões para o orçamento operacional local, e o novo dinheiro eleva o total para mais de 3,5 bilhões. Isso é pelo menos o dobro do valor de quaisquer Jogos Olímpicos anteriores e é liderada pela Dentsu, grande empresa de publicidade japonesa que também é o agente de marketing dos Jogos de Tóquio.

Toshiro Muto, presidente geral do Comitê Organizador, afirmou que as empresas não foram pressionadas para patrocinar os Jogos. "Ouvimos de nossos parceiros sobre a difícil situação que cada um deles enfrenta no meio da pandemia e da crise econômica sem precedentes."

O diário japonês Nikkei publicou este mês que cada um dos 15 "parceiros gold" (principais) teriam contribuído com cerca de US$ 10 milhões. Entre eles estão firmas renomadas como Canon, Fujitsu e Mizuho. O Nikkei também é um patrocinador oficial, assim como outros jornais como Asahi, Mainichi, Yomiuri e vários outros de menor circulação.

Patrocinadores como ANA e Japan Airlines estão entre as empresas que mais enfrentaram problemas durante a pandemia, mas ambas aparecem entre as que aceitaram o novo aporte, segundo os relatórios.

Muto reconheceu que nem todas as contribuições envolvem dinheiro e observou que algumas seriam "em espécie" por meio de bens e serviços fornecidos.

Os organizadores dos Jogos de Tóquio anunciaram no início desta semana o aumento do orçamento em US$ 2,8 bilhões, o que eleva o custo para US$ 15,4 bilhões.

Últimas