Organizada do Santos cobra Peres após ações na Justiça: 'Fomos passivos. Acabou!'

Membros da Torcida Jovem, a principal organizada do Santos, foram nesta segunda-feira ao Business Center, em São Paulo, e realizaram duras cobranças a José Carlos Peres, o presidente do clube. As reclamações se deram na sequência das ações judiciais do goleiro Everson e do atacante Eduardo Sasha, que tentam se desligar do clube.

Em suas ações, Everson e Sasha alegam atrasos nos pagamentos de salários, direitos de imagem e FGTS. Além disso, o clima de insatisfação no elenco do Santos é grande após o clube decidir cortar os salários em 70% durante a paralisação das competições em função do surto de coronavírus, sem que um acordo fosse fechado com os atletas.

Nos áudios a que a reportagem do Estadão teve acesso, não é possível determinar a identidade dos torcedores que cobram Peres. Mas o tome adotado por eles é pesado. "Nestes dois anos nós fomos passivos pra c... Acabou! Fomos taxados de bunda-mole por não ter cobrado, estamos tentando diálogo há dois anos. O vice-presidente liga para o senhor e o senhor não responde. Não vem mentir pra nós", diz um deles. "Chega de papo furado, presidente. Sua credibilidade tá indo pro saco. Ninguém confia…", fala outro.

Peres se reuniu com membros do Conselho Gestor do Santos no Business Center em busca de soluções para pagar os atrasados ao elenco. Na conversa com os torcedores, o dirigente tenta argumentar que o clube Passa por dificuldade financeira. "Pagamos o que pudemos. Conversei várias vezes com o elenco. Os funcionários que ganham até R$ 6 mil e são os mais vulneráveis não foram demitido", afirma.

Além da invasão do Business Center, Peres foi alvo de outros atos de torcedores nesta segunda. "Renuncia, Peres" foi um dos assuntos mais comentados no dia no Twitter no Brasil. E um grupo abriu um abaixoassinado para pedir a renúncia do dirigente, tendo grande adesão.