Olimpíadas Revezamento da tocha olímpica não terá público em alguns locais

Revezamento da tocha olímpica não terá público em alguns locais

Revezamento começa em 9 de julho e, por causa da covid-19, acontecerá principalmente em cerimônias sem público em Tóquio

  • Olimpíadas | Da AFP

Revezamento obedecerá medidas contra pandemia

Revezamento obedecerá medidas contra pandemia

Franck Robichon/EFE/23-06-21

Alguns trechos do revezamento da tocha olímpica em Tóquio não acontecerão em vias públicas devido ao temor vinculado à pandemia de covid-19, anunciaram as autoridades locais nesta quarta-feira (30).

O revezamento, que começa em 9 de julho em Tóquio, acontecerá principalmente em cerimônias sem a presença de público durante os oito primeiros dias de sua passagem pela capital japonesa, para obedecer as medidas de luta contra a pandemia, informou à AFP Koichi Osakabe, funcionário do governo da cidade.

Os Jogos Olímpicos acontecerão de 23 de julho a 8 de agosto. 

"Nós teremos uma cerimônia a cada dia no local em que terminar o revezamento (previsto) da jornada", explicou, antes de acrescentar que quase 100 corredores por dia serão afetados pela mudança no programa.

As alterações afetam sobretudo os trechos do revezamento situados fora dos 23 distritos centrais de Tóquio. Uma decisão será tomada em breve sobre as etapas nas zonas centrais mais densamente habitadas da cidade.

A chama entrará no novo estádio olímpico de Tóquio em 23 de julho, depois de passar pelos 47 departamentos do Japão.

Em alguns departamentos as autoridades locais proibiram o revezamento em vias públicas, o que provocou a mudança para cerimônias sem a presença de moradores em parques ou outros espaços reservados.

A pouco mais de três semanas da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, a sombra da pandemia afeta o grande evento esportivo mundial.

Dois membros da delegação olímpica de Uganda testaram positivo para covid-19 em sua chegada a Tóquio este mês, o que provocou a adoção de normas ainda mais rígidas para as equipes que desembarcam no Japão.

O jornal Yomiuri informou nesta quarta-feira que as autoridades cogitam obrigar uma equipe inteira a entrar em quarentena se um de seus integrantes testar positivo. As delegações também podem ser instruídas a fazer as refeições em silêncio.

O Japão registrou menos de 15.000 mortes por covid-19 desde o início de 2020, mas o sistema de saúde do país foi muito afetado.

O governo japonês acelerou recentemente a campanha de vacinação, mas pouco mais de 10% da população recebeu as duas doses necessárias.

Tóquio e outros seis departamentos permanecerão sob fortes medidas de saúde até 11 de julho.

De acordo com a imprensa local, o aumento de casos em Tóquio e a preocupação com a variante Delta devem levar as autoridades a prolongar as restrições até os Jogos Olímpicos.

Últimas