Olimpíadas Há um ano, Barack Obama sugeriu manipulação na escolha da Rio 2016

Há um ano, Barack Obama sugeriu manipulação na escolha da Rio 2016

Ex-presidente dos Estados Unidos falou sobre manipulação na eleição do COI

  • Olimpíadas | Dado Abreu, do R7

A suposta compra de votos na eleição que escolheu o Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016 não é novidade para representantes das candidaturas de Chicago e Madri, derrotadas em 2009 pela cidade brasileira na 121ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional, em Copenhague, na Dinamarca.

Há um ano, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sugeriu que a escolha das sedes era manipulada. Em entrevista publicada na época na New York Magazine, ele foi enfático sobre o que pensa do COI e como teria transcorrido a fatídica eleição.

Homem mais importante do planeta em 2009, Barack Obama foi um dos garotos-propaganda da candidatura de Chicago, seu berço político, para sediar os Jogos de 2016. Segundo ele, um "comitê muito eficiente" teria ido à Dinamarca para fazer a apresentação da cidade norte-americana antes da votação final. "Michelle [Obama, ex-primeira da dos EUA e esposa de Barack] tinha ido com eles e eu recebi uma ligação", contou o ex-presidente norte-americano. "A delegação achava que se eu fosse também teríamos uma boa chance de vencer e valeria a pena, essencialmente, ir e voltar no mesmo dia até Copenhague. Então, decidi ir", completou.

A chegada de Barack Obama horas antes de votação causou alvoroço e agitação na 121ª Sessão do COI. Parecia ser a cartada final para que a favorita Chicago fosse escolhida com sede dos Jogos. "Depois, entendemos que as decisões do COI são similares às da Fifa: um pouco manipuladas", disse Barack Obama, acrescentando que "segundo todos os critérios objetivos, a candidatura americana era a melhor".

Obama também contou que, no já no voo de volta para Washington, a sua delegação sabia que Chicago não tinha vencido. A derrota foi um duro golpe para o democrata, menos de um ano depois de sua chegada à Casa Branca.

Veja imagens da votação que escolheu o Rio a cidade-olímpica

Representantes de Madri tem visão semelhante à do ex-presidente dos Estados Unidos. Membros do comitê espanhol se disseram "enganados" e foram unânimes em afirmar que o Comitê Olímpico Internacional conduziu a votação.

"Queriam que fosse no Rio e ponto", garantiu em entrevista ao diário El Mundo José María Odriozola, ex-presidente da Federação Espanhola de Atletismo e membro da delegação presente na eleição de Copenhague.

Outro representante de Madri que não quis se identificar foi mais enfático ao falar sobre a suposta farsa na escolha da cidade-sede de 2016. "O sistema do COI é viciado. O Rio de janeiro herdou 20 votos na segunda rodada de votação e outros 20 na terceira. Isso só se explica de uma maneira: Jacques Rogge [presidente do COI entre 2001 e 2013] ordenou para que os Jogos fossem na América do Sul".

A eleição para escolha da sede dos Jogos 2016 se dividiu em três rodadas de votação. Em cada uma delas a cidade menos votada era eliminada até sobrarem as duas finalistas. Na primeira, Madri foi a melhor colocada com dois votos a mais que o Rio. Chicago ficou em último e saiu da disputa. Na segunda rodada, o cenário mudou em favor do Rio de Janeiro, que herdou votos de Chicago e ficou com a maioria dos eleitores. Tóquio caiu fora. Na grande decisão o Rio teve 66 votos contra 32 dos espanhóis e garantiu o direito de sediar a primeira os Jogos Olímpicos.

Últimas