Olimpíadas China ameaça contramedidas se EUA boicotarem Olimpíada de Inverno

China ameaça contramedidas se EUA boicotarem Olimpíada de Inverno

Segundo Ministério das Relações Exteriores chinês, políticos dos Estados Unidos deveriam parar de pedir um boicote diplomático

Reuters - Esportes
Zhao Lijian, porta-voz da chancelaria chinesa

Zhao Lijian, porta-voz da chancelaria chinesa

REUTERS

Políticos dos Estados Unidos deveriam parar de pedir boicote diplomático à Olimpíada de Inverno de Pequim para evitar danificar os laços bilaterais, e a China adotará "contramedidas", se for necessário, disse o Ministério das Relações Exteriores chinês nesta segunda-feira (6).

Acredita-se que o governo Biden anunciará nesta semana que autoridades do governo dos EUA não comparecerão à Olimpíada de 2022, em Pequim, noticiou a rede CNN neste domingo (5).

Aqueles que pedem um boicote estão "querendo aparecer" e deveriam parar, "de maneira a não afetar o diálogo e a cooperação entre China e Estados Unidos em áreas importantes", disse Zhao Lijian, porta-voz da chancelaria chinesa.

"Se os EUA insistirem em se ater deliberadamente a este caminho, a China adotará contramedidas resolutas", disse ele, em coletiva de imprensa.

No mês passado, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse que estava cogitando tal boicote diplomático para protestar contra o histórico de direitos humanos da China, incluindo o que o governo americano qualifica de genocídio de muçulmanos minoritários. A gestão Biden é pressionada por ativistas e congressistas a evitar os Jogos.

A Casa Branca não quis comentar a reportagem da CNN no domingo (5). Quatro fontes a par do pensamento do governo já haviam dito à Reuters que é crescente o consenso dentro da Casa Branca sobre não enviar autoridades aos Jogos.

Aldo vence, mas vai ao hospital: veja 7 destaques do fim de semana

Últimas