Esportes Novak Djokovic desiste do Masters 1000 de Cincinnati e irá direto ao US Open

Novak Djokovic desiste do Masters 1000 de Cincinnati e irá direto ao US Open

A organização do Masters 1000 de Cincinnati anunciou na noite de segunda-feira que o sérvio Novak Djokovic, atual número 1 do mundo, desistiu da competição nos Estados Unidos que acontecerá na próxima semana. O tenista, que vem da disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, já havia desistido de jogar o Masters 1000 de Toronto, no Canadá, nesta semana, e irá direto para o US Open sem disputar nenhum torneio preparatório. O último Grand Slam do ano começará no próximo dia 30, em Nova York.

"Queridos fãs, gostaria de compartilhar com vocês que estou demorando um pouco mais para me recuperar depois de uma jornada bastante cansativa desde a Austrália até Tóquio", disse Djokovic, por meio de suas redes sociais. "Infelizmente, isso significa que não estarei pronto para competir em Cincinnati este ano. Então vou voltar meu foco e atenção para o US Open e passar mais tempo com a família. Vejo vocês em Nova York em breve!".

Djokovic tem dois títulos na competição, em 2018 e também no ano passado, quando o evento foi excepcionalmente transferido para o complexo do US Open, em função da pandemia do novo coronavírus. Como a ATP começa a retomar o modelo atual do ranking a partir de Cincinnati, ele vai perder os mil pontos conquistados em 2020.

Líder do ranking, Djokovic tem 38 vitórias e apenas cinco derrotas na temporada. O sérvio conquistou os três primeiros Grand Slam de 2021 - Aberto da Austrália, Roland Garros e Wimbledon - e tenta agora vencer o US Open para repetir um feito que não acontece desde 1969, quando o australiano Rod Laver venceu os quatro torneios do Grand Slam na mesma temporada.

US OPEN - Após passar por duas cirurgias no pé esquerdo, a primeira em março e a segunda em junho, Stan Wawrinka anunciou que não disputará o US Open, Grand Slam que venceu em 2016. Em sua participação mais recente, na temporada de 2019, parou nas quartas de final. Seu último torneio foi o ATP 250 de Doha, no Catar, em fevereiro.

Quem se deu bem com a desistência de Wawrinka foi o britânico Andy Murray, campeão do Grand Slam nova-iorquino em 2012. O britânico de 34 anos e ex-número 1 do mundo aparece atualmente no 105.º lugar do ranking e agora entrará diretamente na chave principal, sem depender de convites dos organizadores ou de uma eventual disputa do qualifying.

Últimas