Mais Esportes Dirigente uruguaio diz que punição pesada de Jara minimiza revide de Cavani

Dirigente uruguaio diz que punição pesada de Jara minimiza revide de Cavani

Montevidéu, 28 jun (EFE).- O presidente da Associação Uruguaia de Futebol (AUF), Wilmar Valdez, afirmou neste domingo que a punição do chileno Gonzalo Jara, que não atuará mais na Copa América, é um atenuante a conduta de Edinson Cavani, que foi expulso ao reagir a provocação do rival, em jogo disputado na quarta-feira. "Foi demonstrado com esta pena que o jogador chileno cometeu uma infração antidesportiva e, por causa disso, aconteceu a leve reação de Cavani", garantiu o dirigente, em entrevista ao jornal "El Observador". Jara, que deu uma "dedada" no atacante adversário, pegou três jogos de suspensão, sendo que dois serão cumpridos na Copa América e um nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. A AUF foi responsável por apresentar denúncia contra o zagueiro chileno, além de defesa de Cavani, que ainda será julgado pela expulsão no jogo das quartas de final da competição continental. Sobre a denúncia da confederação chilena, contra sete atletas uruguaios, próprio Cavani, Diego Godín, Fernando Muslera, José María Giménez, Jorge Fucile, Álvaro González e Christian Stuani, por agressões contra jogadores da 'Roja' e arbitragem, Wilmar Valdez afirmou que a entidade não foi notificada. EFE rfg/bg

Últimas