Mais Esportes Com atletas de 11 países, Brasil recebe o Mundial de paramotor

Com atletas de 11 países, Brasil recebe o Mundial de paramotor

Esta é a primeira vez que a competição é realizada no continente americano. Evento acontece entre os dias 20 e 30 de abril

  • Mais Esportes | Do R7

Região de Saquarema, no Rio de Janeiro, possui muitas belezas naturais

Região de Saquarema, no Rio de Janeiro, possui muitas belezas naturais

Divulgação

Depois de três anos sem ser disputado, o Campeonato Mundial de Paramotor Clássico FAI, em sua 11ª edição, acontece entre os dias 20 e 30 de abril. E se o retorno das competições já é um motivo especial para comemorar, a etapa tem motivos a mais: é a primeira vez que o Mundial ocorre em um país do continente americano. Além disso, será realizada em uma das cidades mais favoráveis para a prática do esporte: Saquarema, no litoral do Rio de Janeiro.

Para conquistar o título, os pilotos disputarão provas de economia, navegação e precisão, em três classes: Paramotor Solo (PF1), Paratrike Solo (PL1) e Paratrike duplo (PL2). Representantes de 11 países já confirmaram participação, com destaque para França, Brasil, Catar e Tailândia, que terão as maiores delegações.

Atual campeão mundial da modalidade Paramotor Solo, o francês Alexandre Mateos está entre os nomes confirmados e diz que a expectativa é de disputa acirrada. "Não temos um novo campeonato mundial desde 2018, então o nível será muito alto. E vou fazer o melhor para defender o título", diz Mateos.

Sensação idêntica é compartilhada pelo atual campeão brasileiro da mesma categoria e líder da delegação verde-amarela, o piloto paranaense Alan Braga. "A equipe brasileira é nova em competições, mas vamos chegar ao campeonato com muita maturidade e experiência. Sem falar na felicidade de retornar aos mundiais, ainda mais sendo realizado no nosso país", destaca.

Atletas do mundo inteiro estarão no Brasil para a competição

Atletas do mundo inteiro estarão no Brasil para a competição

Divulgação

Para a Confederação Brasileira de Paramotor (CBPM), a infraestrutura de Saquarema foi fundamental para a decisão de realizar a competição no município. "Vamos reunir as principais delegações do mundo e queríamos uma cidade que por si só já tivesse uma atmosfera propícia para o esporte. Não tenho dúvidas que representaremos muito bem o continente americano nesta estreia e que todos os atletas e suas delegações vão se surpreender com o mundial", destaca Lula Laghi, presidente da CBPM e integrante da organização do evento.

Quatro brasileiros aparecem em lista de times mais valiosos do mundo

Últimas