Mais Esportes Brasil quase se complica, mas vence Eslovênia e leva o bronze no Mundial de vôlei

Brasil quase se complica, mas vence Eslovênia e leva o bronze no Mundial de vôlei

Apesar de sustos no fim da partida, seleção ignora retrospecto ruim em disputas de terceiro lugar e bate europeus por 3 sets a 1

Agência Estado - Esportes
Bruninho, capitão da seleção, disse que a equipe almejava mais, mas está feliz com a medalha

Bruninho, capitão da seleção, disse que a equipe almejava mais, mas está feliz com a medalha

REUTERS/Kacper Pempel

O Brasil conquistou a inédita medalha de bronze no Mundial de Vôlei na Polônia neste domingo (11). Após parecer caminhar para uma vitória tranquila sobre a Eslovênia, a seleção brasileira levou um susto no terceiro e no quarto set, mas se reencontrou em quadra para confirmar a vitória por 3 sets a 1 na disputa do terceiro lugar. As parciais da partida foram 25/18, 25/18, 22/25 e 25/18.

Presente nas últimas cinco finais do Mundial, o Brasil voltou a tropeçar em um velho algoz no último sábado (10) e acabou eliminado pela Polônia pela terceira vez consecutiva, ficando fora da final. A Eslovênia perdeu por 3 a 0 para a Itália, enquanto o jogo do Brasil foi para o tie-break e terminou em 3 a 2 para a Polônia. Para conquistar o bronze, a seleção brasileira supera um retrospecto ruim em disputas de terceiro lugar, nas quais perdeu duas vezes nos jogos olímpicos e três vezes nos mundiais.

"Significa muito uma nova medalha, a sexta seguida. Queríamos mais, com todas as dificuldades, problemas físicos que tivemos, temos que celebrar, ficar orgulhosos. Montamos um grupo muito legal, com jogadores jovens e experientes, eu estava tentando ajudar e motivar todo mundo. Isso é algo que temos que valorizar muito. Nós jogamos pelo Brasil, existe muita pressão e responsabilidade. Temos que entender que estamos mudando de geração. Estamos entre os melhores times do mundo, isso é que importa", afirmou Bruninho após a conquista.

Jogando na Arena Spodek, em Katowice, na Polônia, o Brasil começou atrás, mas deslanchou ainda no primeiro set para fazer 1 a 0. O segundo set foi confirmado com certa tranquilidade e, próximo de confirmar a vitória com um 16 a 9 no terceiro set, o Brasil oscilou e deixou a Eslovênia voltar para o jogo. Depois de muita conversa com Renan Dal Zotto, a seleção brasileira voltou a acordar no quarto set e confirmou a medalha.

A Eslovênia quase escapou na frente do placar no primeiro set, mas o Brasil conseguiu buscar o empate. A virada veio com o time de Renan Dal Zotto explorando bem os saques do Lucão, que conseguiu quatro pontos em sequência. O Brasil disparou e ainda conseguiu um ace com Bruninho. Leal dominou a quadra, e a seleção brasileira confirmou o primeiro set por 25 a 18.

Após sair de um 11/15 para a vitória por 25/18 no set de abertura, comandou o set seguinte para ampliar a vantagem. Com atuação empolgante, os brasileiros repetiram o placar e fecharam o segundo set por 25 a 18.

Pressionada, a Eslovênia começou o terceiro set com erro, e o Brasil aproveitou o momento para abrir vantagem e se aproximar da medalha. A seleção chegou a somar o dobro de pontos e fazer 14 a 7. Mas a tranquilidade do set foi por água abaixo. A Eslovênia reagiu e conseguiu empatar por 16 a 16, fazendo nove pontos contra apenas um do Brasil. Os europeus fecharam o terceiro set por 25 a 22.

O Brasil ainda passou por um leve susto no começo do quarto set, que começou sendo vencido por 4 a 0 pelos eslovenos, mas os brasileiros logo empataram o placar. A partida manteve certo equilíbrio até o Brasil voltar a dominar. Wallace confirmou o set point em contra-ataque por 25 a 18, garantindo a medalha.

Você lembra como era o mundo da última vez em que CR7 não jogou na Champions?

Últimas