Lance Ygor Catatau e Matheus Babi: histórias de superação unidas pelo futebol no Vasco x Botafogo

Ygor Catatau e Matheus Babi: histórias de superação unidas pelo futebol no Vasco x Botafogo

Jogadores superaram adversidades para virarem profissionais e chegaram aos respectivos clubes após se destacarem no último Campeonato Carioca

Lance
  • Lance | por Lance

Lance

Lance

Lance

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol? A letra da banda "Skank" na música "Partida de futebol" reflete a realidade de muitos jovens no Brasil. O esporte mais popular do país e traz consigo histórias de superação. Duas delas estarão juntas nesta quarta-feira, no Vasco x Botafogo, pela quarta fase da Copa do Brasil, em São Januário, às 21h30: Ygor Catatau e Matheus Babi.

A dupla estará separada em campo, mas poderia tranquilamente estar junto no enredo de um filme, contando o que cada um passou para chegar neste dia 23 de setembro de 2020 com chances de colocarem suas respectivas equipes nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Matheus Babi é nascido e criado no Morro São Jorge, em Macaé, munícipio do Rio de Janeiro. Ele perdeu a mãe, Aisne, com oito anos. Como o pai, Vinícius, trabalhava para manter as contas em dias, o atacante foi praticamente criado pelos avós, seu Tuíca e dona Fátima - que, coincidentemente, são torcedores do Botafogo.

O apoio familiar foi fundamental para Babi começar a trajetória no futebol, com os parentes próximos ajudando, por exemplo, a levar o futuro camisa 9 do Botafogo aos treinamentos. O primeiro clube do atacante foi justamente o Macaé. Entre idas e vindas, foi pelo clube do local onde nasceu que se destacou para fechar com o Alvinegro.

Autor de cinco gols em nove jogos no Carioca, foi contratado pelo Botafogo durante a paralisação das competições. Chegou sem holofotes, mas, aos poucos, está conquistando a própria luz. É titular da equipe comandada por Paulo Autuori e balançou as redes três vezes contra o Cruz-Maltino.

No Vasco, outro jogador tem provado ser errada a máxima de que jogadores de times pequenos não se adaptam a clubes grandes do futebol brasileiro. O atacante Ygor Catatau tem trajetória de superação e de um início tardio no futebol até o primeiro gol com a camisa do Vasco, justamente contra o Botafogo, na vitória por 3 a 2, pelo Brasileiro.

Catatau chegou para um período de avaliação em São Januário, emprestado pelo Madureira após o término do Carioca. No que já chamou de "chance da vida", o jogador de 25 anos tem ganhado a confiança de torcedores e da comissão técnica com muito esforço e dedicação. Ygor começou tarde no futebol, pelo Tricolor Suburbano, aos 20 anos, praticamente sem ter jogado nas categorias de base, em razão da necessidade de ajudar a família. Desde a adolescência, trabalhava ajudando o pai, o botafoguense Jorge da SIlva, a guardar carros no Leblon.

Depois da emoção de realizar o sonho de marcar o gol em um clássico carioca, Catatau luta para ter uma sequência de boas atuações e se firmar de vez no time de Ramon. Uma contribuição decisiva no duelo decisivo contra o Alvinegro pode ajudar nesta mudança de rumos na carreira vivida pelo jovem e até a ampliar a permanência no Cruz-Maltino para as próximas temporadas.

Últimas