Veja quem são os brasileiros que lutam por pódio na 95º Corrida de São Silvestre

A partir dessa edição, a competição passa também a ser da categoria Road Race Bronze Label da Wolrd Athletics (IAAF), entrando para o rol das principais corridas do mundo

Lance

Lance

Lance

Falta pouco para a largada da 95º edição da Corrida Internacional de São Silvestre, que acontece tradicionalmente no último dia do ano, nesta terça-feira. A prova que é considerada de alto nível técnico, além do pelotão de elite, vai levar às ruas de São Paulo 35 mil inscritos de 41 países.

A programação no dia 31 começará às 7h25min, com a largada da categoria Cadeirantes. Em seguida, às 7h40min, será a vez da Elite feminina, ficando para as 8h05min a Elite masculina, Pelotão C, Cadeirantes com Guia e Pelotão Geral. O percurso de 15 km passa por alguns dos principais pontos turísticos da cidade paulista, com largada e chegada na Avenida Paulista.

Brasileiros na disputa
Os destaques brasileiros que vão buscar desbancar os corredores, entre as mulheres, são Tatiele de Carvalho, foi quarta na Dez Milhas Garoto e 5ª na Meia de Buenos Aires (18) e que possui cinco títulos do Troféu Brasil é a esperança entre as mulheres.

No masculino, Daniel Chaves da Silva (foto), top 15 na Maratona de Londres deste ano, garantido nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020; Wellington Bezerra, 18º na Maratona de Hamburgo e vice da Maratona Internacional de São Paulo em 2018; Ederson Pereira, campeão da Volta Internacional da Pampulha, ouro nos 10 mil nos Jogos Pan-Americanos de Lima, ambos neste ano, e quinto na Meia de Buenos Aires do ano passado.

Principais destaques estrangeiros
Entre os estrangeiros, as atrações são inúmeras: Brigid Kosgei (QUE), recordista mundial da maratona; Pauline Kamulu, (QUE) bronze no mundial de meia maratona de 2019 e atual vice-campeã da Corrida São Silvestre; Sheila Chelangat (QUE), campeã da Okepke 10K (Nigéria), Shangai 10k, Port Gentil 10k (Gabão) e Valenciennes 10k (França); Edwin Rotich (QUE), bicampeão da São Silvestre (2012 e 2013); Dawit Admasu (BAH), atleta etíope e que representa o Bahrein, campeão da Corrida de São Silvestre em 2014 e 2017; Titus Ekiru (QUE), bicampeão em Honolulu (18/19), vencedor da Maratona de Milão e da Meia de Lisboa, ambas em 2019; Jacob Kiplimo (UGA) - 1st - Simplyhealth Great Manchester Run (GBR); Byron Piedra (ECU), campeão sul-americano dos 10 mil metros; Diana Orcampo (ARG), campeã da Maratona de Buenos Aires.

Reconhecimento internacional
Com mais de nove décadas de história, a Corrida de São Silvestre alcançou ainda mais destaque no cenário mundial. A partir dessa 95ª edição, ela passa também a ser da categoria Road Race Bronze Label da Wolrd Athletics (IAAF), entrando para o rol das principais corridas do mundo. Isso significa possuir critérios técnicos de qualificação que garantirão a presença de alguns dos melhores corredores do mundo na atualidade.

A Corrida de São Silvestre, assim, junta-se a Maratona de São Paulo (desde 2019) e Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro (a partir de 2020), como únicas provas do país a possuir esse Bronze Label. Todos com qualidades e excelência reconhecidas.