Lance Uso de suplementos sem acompanhamento pode causar insuficiência hepática, alerta médico Marcos Staak

Uso de suplementos sem acompanhamento pode causar insuficiência hepática, alerta médico Marcos Staak

Apesar de serem vendidos sem receita médica, os suplementos precisam ser avaliados por um médico

Lance
Lance

Lance

Lance

Com o crescente número de casos de insuficiência hepática relatados na mídia por causa de remédios emagrecedores, o uso de outro elemento muito comum de quem busca a estética corporal entra em xeque: os suplementos. Usados para suprir carências nutricionais e melhorar os resultados dos exercícios físicos, esses produtos também podem culminar em insuficiência hepática, quando usados sem supervisão.

De acordo com o médico Marcos Staak, muitas pessoas acreditam que o suplemento não faz mal por não ter venda controlada. A verdade é que o perigo pode estar escondido neste pequeno equívoco de categorização.

“Muitas pessoas e atletas podem se submeter ao risco sem se darem conta, isso porque acreditam que se fizessem mal à saúde, os suplementos não seriam vendidos sem receita em tantos lugares. Essas pessoas fazem uso de suplementos sem nenhuma indicação ou prescrição profissional, acreditando que qualquer um serve”, diz.

A exigência de receita médica não é necessária, pois a suplementação se encaixa na categoria alimentar e não medicamentosa, mas isso não significa que eles não oferecem riscos.

“Essa é uma linha de raciocínio bem equivocada. Os suplementos quando utilizados de maneira irresponsável, podem fazer mal, sim, e, dependendo da extensão do problema, podem comprometer totalmente a sua função hepática, ou seja, podem sobrecarregar tanto o seu fígado, a ponto de ele simplesmente parar de trabalhar como deveria”, diz.

A falta de acompanhamento profissional, além de gerar um uso incorreto sem uma visão estratégica e objetiva, também esconde os impactos da suplementação no organismo

“O que agrava a situação é que as pessoas não fazem nenhum tipo de acompanhamento profissional para saber os impactos que o suplemento está gerando em seu organismo, além dos estéticos, visíveis em seu corpo”, alerta.

Segundo Marcos Staak, o quadro pode ser assintomático e a longo prazo pode resultar em uma internação, quando o caso já estiver avançado.

“Muitos desenvolvem uma DILI (Lesão Hepática Induzida por Drogas), que pode ou não ser sintomática e só é diagnosticada a partir de exames e análises. É por isso que o acompanhamento tem que ser de perto, com agendamento de consultas periódicas, para ver como as condutas elaboradas estão impactando o corpo."

Ele destaca que o uso de suplementação é algo totalmente aceitável, quando isso vai ao encontro de seus objetivos e é algo estudado e recomendado por um profissional da saúde, que acompanhará como o seu corpo lidará com o que está recebendo.
“Assim, você evita qualquer tipo de risco ao seu fígado, que pode passar despercebido aos olhos mais leigos no assunto”, finaliza.

Últimas