Lance Swiatek vira batalha dramática de 3h14 contra Collins no Australian Open

Swiatek vira batalha dramática de 3h14 contra Collins no Australian Open

Polonesa admite que não sabe como virou partida e confessa que já estava pensando no aeroporto

Lance
Lance

Lance

Lance

A polonesa Iga Swiatek, número 1 do mundo, passou um grande sufoco na segunda rodada do Australian Open e precisou de 3h14 para superar a vice-campeã do torneio em 2022, a norte-americana Danielle Collins, 62ª, em um jogão cheio de nuances e viradas.

Swiatek fechou sua mais longa partida em quadra no Australian Open com placar de 6/4 3/6 6/4, tendo convetido um ace a três de Collins, que cometeu 37 erros não forçados a 35 e bateu 28 bolas vencedoras a 34 da polonesa.

A partida foi desde o primeiro game intensa, com Swiatek forçando Collins a salvar breakpoint no 1º game e foi pressionada na sequência. As duas tenistas adotaram uma tática agressiva. Swiatek trabalhou usando a força na ival, em especial nas devoluções, enquanto Collins tentou acelerar bem a bola. Como resultado, as tenistas tocaram quebras entre o 4° e 5° games e a disputa seguiu, com a polonesa fazendo frente no 9° game, trabalhando sólido com forehand cruzado para determinar quebra e sacar com solidez para a primeira etapa.

Na segunda etapa, as duas tenistas mantiveram o ritmo intenso e tocaram quebras nos dois primeiros games. A partida seguiu e Collins trabalhou fortemente com backhand buscando as linhas para abrir 4/1 com quebra no 4° game. A partida então foi interrompida em razão da chuva que chegou em Melboune Park. O jogo ficou paralisado por pouco mais de 10 minutos paa o fechamento do teto da Rod Lave Arena.

No retorno, Swiatek foi quebrada de zero, mas devolveu na sequência salvando um set point. Collins então sacou para empatar a partida e forçar o set decisivo.

Nele, a norte-americana seguiu embalada, trabalhando muito bem com backhand e buscando empurrar a polonesa da linha de base. Swiatek passou a arriscar mais, cometeu alguns erros e chegou a perder o set em 4/1 com quebras nos 3° e 5° games. A número 1 do mundo não desistiu, foi firme na devolução, quebrou de zero no 6° game e empatou a partida com nova quebra no 8° e pressionou ainda mais Collins, que sacou para ficar na partida, salvou dois match points, mas não resistiu e foi quebrada em uma incrível virada da número 1 do mundo.

Na terceira rodada do torneio, Swiatek encara a tcheca Linda Noskova, 50ª, que superou a norte-americana Mccartney Kessler, 206ª, com placar 6/3 1/6 6/4 após 1h53.

Após o jogo ela contou como conseguiu o triunfo:

- Eu ainda não sei. Sinceramente, eu já estava no aeroporto - disse ela, sorrindo e arrancando risos até de Andrea Petkovic, que a questionou sobre estar 4/1 abaixo no placa no terceito set.

- Eu tinha de lutar até o fim, eu sabia que ela estava jogando de modo perfeito, mas também sabia que era difícil para qualquer pessoa manter aquele nível, então eu queria estar pronta para quando os erros passassem a vir do outro lado. Eu queria segurar isso e estou orgulhosa de mim, porque não foi fácil - completou, ovacionada pelo público presente na Rod Laver Arena.

- Senti que as coisas estavam andando e então ela [Collins] começou a jogar duas vezes mais rápido e eu não tinha nem ideia e como reagir àquilo. Isso durou alguns games, mas eu conseguir voltar e entender que a única coisa em que eu posso focar é em mim mesma, parei de me preocupar em como ela iria jogar e segui - analisou.

Swiatek foi questionada se a bandagem de proteção em seu joelho é razão para preocupação por parte dos fãs.

- Não importa tanto, eu tenho lutado com isso desde Cancún [WTA FInals]. Eu tenho altos e baixos, mas não é algo que impacta no meu jogo. A intensidade foi alta, sobrecarregou minhas pernas, então, como você disse, é uma precaução para dar aquele 1% a mais, mas não é algo para se preocuparem, está tudo bem - afirmou a polonesa.

Últimas