Lance Rafaelle vê feito de Rayssa Leal como 'inspiração' e diz que Seleção fará seu melhor contra Zâmbia

Rafaelle vê feito de Rayssa Leal como 'inspiração' e diz que Seleção fará seu melhor contra Zâmbia

Em entrevista coletiva na véspera do duelo, defensora descarta preocupação com futuro rival nas quartas de final: 'Depois a gente vê qual rival vamos pegar'

Lance
Lance

Lance

Lance

A medalha de prata obtida pela jovem Rayssa Leal no skate reverberou na Seleção feminina. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (26), a zagueira Rafaelle destacou que a medalha de prata da skatista surge como inspiração para as Guerreiras do Brasil, na véspera do duelo com Zâmbia, pelo Grupo F do futebol feminino dos Jogos Olímpicos.

- Foi muito legal. A gente estava na hora do almoço, todo mundo reunido para almoçar, acompanhamos pelo celular. Recebemos mensagens do tipo "quero que aconteça com vocês também". Contagia bastante, não só por ser uma menina, mas porque nós aqui queremos esse ouro inédito. É um motivo de orgulho ver uma menina conquistando essa medalha e, sem dúvida, de muita inspiração para nós - disse.

A jogadora de 30 anos rechaçou que a Seleção feminina vá a campo diante de Zâmbia já projetando uma "fuga" de adversários do Grupo G, que tem rivais fortes, como Estados Unidos e Suécia. O momento é de fazer o papel delas.

- A gente não chegou a conversar sobre isso. Estamos a cada jogo buscando o nosso melhor, buscando a vitória a cada jogo, isso é o principal, apresentar nossa melhor performance a cada partida. Embora isso impeça a gente de pegar uma adversária difícil, como a Suécia ou os Estados Unidos, pensamos em fazer um ótimo jogo contra Zâmbia, tentaremos fazer saldo, máximo de gols que puder. Depois a gente vê se pega o grupo dos Estados Unidos, da Suécia ou um rival do grupo da Inglaterra. isso aí a gente deixa para a Pia (Sundhage). Queremos apresentar o nosso futebol da melhor forma possível - declarou.

Rafaelle também descartou que a falha no segundo gol holandês no empate em 3 a 3 com a Holanda afete o emocional da equipe e deu respaldo a Bárbara. Aos seus olhos, a Seleção está bem preparada.

- Sempre foi nosso trabalho em grupo. Não foi uma falha da Bárbara. Teve um cruzamento, teve uma cabeçada da atacante delas, eu não colocaria dessa forma. Foi um mérito da Holanda, é um time muito bom, isso não mexe com a gente não em relação ao próximo jogo. Acho que a gente está com um time bem preparado, focado - afirmou.

Em seguida, a defensora projetou o duelo com a Zâmbia, que tem Banda, uma das artilheiras da Olimpíada, com seis gols.

- Sabemos que será um jogo difícil. Elas têm uma grande atacante, conheço ela da China, a enfrentei em algumas oportunidades. Mas estamos bem montadas, conseguimos neutralizar de certa forma um dos melhores time do mundo, estamos bem para o jogo com Zâmbia - afirmou.

O Brasil tem quatro pontos e está na segunda colocação, perdendo apenas para a Holanda no saldo de gols.

Últimas