Qual a análise da dupla Atletiba sobre desentendimento com a Turner

Clima no Furacão é de 'traição' pela empolgação na época do acordo formatado e, do lado do Coxa, sensação é de ser envolvido em problema que não causou

Lance

Lance

Lance

Tendo ambos assinado com a Turner para terem suas partidas da Série A do Brasileirão transmitidas até o ano de 2024, Athletico-PR e Coritiba tem sensações diferentes em relação a possibilidade de rompimento precoce do vínculo que ganhou força nos últimos dias.

Isso porque, enquanto o Furacão entende que houve uma espécie de "traição" por parte da companhia norte-americana mediante a empolgação e expectativa que a diretoria do clube empregou no acordo, o Coxa avalia que não poderia ser imputado em possíveis "transgressões" contratuais por sequer ter disputado a competição em 2019.

Tamanho tem sido o espanto por parte do Coritiba que o clube estuda uma compensação financeira na justiça caso o acordo seja rompido. Seja do valor da rescisão, que chega a R$ 300 milhões, ou mesmo de uma quantia vultosa por entender justamente que não transgrediu nenhuma regra do contrato.

Por parte da equipe jurídica do Athletico, a ideia é apontar para a iniciativa do conglomerado norte-americano em rescindir o acordo se valendo do formato contratual onde a Turner teria de arcar com a multa. Evitando, assim, com que o Rubro-Negro fique com o prejuízo e podendo, inclusive, também receber a compensação financeira antes de decidir sobre a negociação dos direitos de transmissão na TV fechada.