Polícia Militar reforça segurança em vários pontos de BH por conta do rebaixamento do Cruzeiro

A corporação colocou um efetivo de homens em locais que pode gerar confusão, como as sedes do Cruzeiro no Barro Pteto, Toca da Raposa e Sede Administrativa do clube

Lance

Lance

Lance

A onda de violência presenciada antes mesmo do fim do jogo Cruzeiro e Palmeiras, que confirmou o rebaixamento da Raposa para a segunda divisão, mostrou cenas lamentáveis, obrigado a interrupção da partida aos 36 minutos do segundo tempo, por conta de quebra de cadeiras, bombas jogadas na arquibancada brigas entre torcedores e até um pai fugindo com uma criança para dentro do campo, escoltado pela polícia, para evitar que o menino se machucasse.

Esse foi o saldo parcial da irracionalidade que o rebaixamento da Raposa, após a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras e o empate do Ceará, 1 a 1, com o Botafogo, no Rio. O Batalhão de Choque da Polícia Militar de (PM) teve que Minas Gerais teve de agir e utilizar armas com balas de borracha.

O confronto dentro do estádio se estabilizou rapidamente, com a ação preventiva da PM, que teve a seu favor um reforço na segurança e um estádio com jogo acabou antes mesmo de completar o tempo regulamentar, em 2 a 0 mil presentes, tendo vários setores vazios.

Todavia, também houve confusão na saída do estádio, quando vários torcedores entraram em confronto com a PM. Os policiais agiram para conter a multidão jogando bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo. Por enquanto houve a informação de apenas um preso. Não há informações sobre feridos.

Segundo o major Flávio Santiago, porta-voz da PM de Minas, a situação no entorno do estádio já foi controlada.

-Situação foi controlada. A segurança interna solicitou a ação da PM que entrou e conseguiu debelar e fazer a dispersão dos torcedores. Agora faz do lado de fora com um pouco mais de tranquilidade. A opção foi pela dispersão- disse o major sobre a estratégia utilizada.

O major Santiago disse tamném que a segurança será ampliada para outros pontos de Belo Horizonte, para evitar confrontos.

-Agora, vamos ampliar o policiamento para toda cidade para que este escoamento aconteça com tranquilidade-disse.

O policiamento está reforçado entorno da sede do Cruzeiro, no Barro Preto, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, com cinco carros da PM e um da Polícia Civil, com 15 policiais.

Uma prisão confirmada

A confusão dentro do Mineirão, durante o jogo Cruzeiro e Palmeiras, gerou a prisão de um torcedor, pelos incidentes de violência no estádio. De acordo com informações da corporação, um jovem, de 22 anos, tentou entrar no estádio com uma camisa de outro time e foi impedido A PM não revelou qual time o torcedor estava vestido. Também foi encontrado com o homem uma porção de maconha.