Perrella diz que tem tomado remédios para dormir e pretende levar o Cruzeiro para longe de BH

O gestor do futebol quer fazer a preparação para o jogo contra o Vasco fora da capital mineira para diminuir a pressão sobre a equipe celeste

Lance

Lance

Lance

O Cruzeiro está tentando achar jeitos de “blindar” o elenco nesta reta final de Campeonato Brasileiro. A ideia do comando celeste é proteger o time das pressões externas de torcedores e até mesmo da parte interna do clube.

Por isso, a diretoria cruzeirense está planejando fazer toda a preparação do time para o jogo contra o Vasco, segunda-feira, 2 de dezembro, no Rio de Janeiro, longe de Belo Horizonte. A ideia é ficar longe da capital mineira logo depois do jogo contra o CSA, nesta quinta-feira, 28, no Mineirão.

De acordo com o gestor de futebol da Raposa, Zezé Perrella, concentrar os jogadores no Rio de Janeiro vai ajudar a equipe a sair um pouco da “confusão” de Belo Horizonte.

- O torcedor tem que ir lá prestigiar contra o CSA, porque depois temos três jogos fora. Estou pensando, inclusive, já levar o time, após o jogo contra o CSA para o Rio, e eles ficarem lá concentrados na sexta, sábado, domingo. Sair um pouquinho dessa confusão toda, isso vai fazer bem a eles. Eles vão ficar concentrados. É uma programação que estou pensando em fazer. Não é fugindo de BH nem nada- disse.

Perrella disse que a pressão estão tão alta,que tem tomado remédio para dormir e pediu uma trégua nos protestos contra o time.

- A torcida tem prestigiado. Tem tido paciência, mas faço apelo às torcidas organizadas, que se julgam no direito de invadir a Toca da Raposa, que se julgam no direito de pichar o muro, com palavras de qualquer um. O futebol que está caminhando a não vai achar dirigente disposto a dirigir nenhum outro time não. É um ambiente perigosíssimo. São torcidas agredindo, soltando fogos na porta da casa de dirigentes, pichando. Essa internet é uma praga. Essas redes sociais. As pessoas acham que podem te agredir do jeito que quiserem. Como você não tivesse sentimento, preocupado com o clube. Estou dormindo à base de Lexotan e preocupado. Agora, torcedor não sabe o que a gente faz. Escuto nas redes sociais que não vou na Toca, na sede. Estou trabalhando 24 horas, correndo atrás, para o que o pior não aconteça- contou.

O Cruzeiro não vence há cinco partidas e após a goleada para o Santos, o planejamento do time de fazer pelo menos sete pontos nos jogos contra Avaí, Santos e CSA, não se concretizou, pois o time azul empatou em casa com os catarinenses e está pressionado para vencer os alagoanos, senão a chance de queda ficará cada vez maior.