Paulo Sérgio explica saída do Cascavel e início no ABC: "Estreia dos sonhos"

Atacante de 30 anos é o segundo maior artilheiro do Brasil em 2020 com oito gols em oito jogos

Lance

Lance

Lance

Uma das grandes surpresas do ano de 2020 é o excelente desempenho do experiente atacante Paulo Sérgio, que já ostenta o status de segundo maior goleador do Brasil com a impressionante marca de oito gols em oito jogos. Mas o início de temporada do atleta foi bem, bem movimentado.

Ele começou sua temporada vestindo a camisa do FC Cascavel para a disputa do Campeonato Paranaense, onde ele se destacou rapidamente e assumiu a artilharia do estadual com quatro gols. Quando tudo parecia perfeito, a oportunidade bateu na porta e ele se transferiu para o ABC. E o início foi, segundo o próprio, "dos sonhos", fazendo o gol do título do primeiro turno do estadual justamente contra o América-RN nos acréscimos.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!, o atacante de 30 anos contou como foi assinar com o ABC, o décimo sétimo clube de sua movimentada carreira, afirmando que a visibilidade que o clube de Natal traz pode lhe ajudar a concluir seu objetivo: voltar a disputar a primeira divisão.

- Eu tomei essa decisão de sair do Cascavel, onde estávamos na liderança e eu como artilheiro do campeonato, pela grandeza do ABC. É um clube de massa, de torcida, de uma região muito boa e com a visibilidade muito grande, onde eu sei que eu desempenhando o meu melhor outras portas maiores podem aparecer para mim. Eu estava confiante nisso, fiquei feliz pelo interesse do clube e por confiar muito em mim e no meu trabalho, até por estar me sentindo muito bem, eu não tinha dúvidas em chegar aqui e fazer uma diferença.

Estou feliz, estou tranquilo e com uma cabeça boa, trabalhando bastante e me dedicando muito para continuar fazendo os gols, ajudando a minha equipe para que no futuro a gente possa voltar a disputar uma Série A, que é o meu grande desejo hoje. Eu tenho que fazer um bom trabalho aqui para poder chamar atenção dos clubes de lá, então eu preciso desempenhar o meu melhor para que isso possa acontecer em algum momento -, afirmou.

O atleta também explicou sua saída do Cascavel, explicando que problemas internos e a saída do gerente de futebol Fernando Leite, que foi o responsável por levar Paulo ao clube pela relação pessoal entre os dois, culminaram na mudança de ares.

- Na verdade, antes mesmo de fechar com o Cascavel, eu cheguei a ter umas três opções de clubes, só que eu já tinha dado a minha palavra para o então gerente de futebol Fernando Leite, que é um baita de um profissional e um baita de um ser humano. Eu já tinha dado minha palavra para ele quando ele tinha assumido o cargo no Cascavel e me passou alguns nomes que ele estaria levando para o clube e isso me motivou a fechar com eles. Não é a toa que eles estão brigando com os grandes no topo da tabela, e hoje estão a um ponto do Coritiba. Ele conseguiu montar um grande elenco e isso me motivou. Só que algumas coisas internas não estavam certas e isso fez com que ele pedisse inclusive para sair, e pesou um pouco na minha saída de lá.

Eu estava fazendo um bom trabalho junto com a comissão técnica e com os outros jogadores, e isso despertou o interesse de algumas equipes, inclusive o ABC. Pelo projeto que me ofereceram aqui e por algumas coisas internas que estavam acontecendo no Cascavel que eu não estava de acordo, eu acabei optando por sair. Sou grato ao clube, à comissão técnica, jogadores e a própria diretoria também, mas é um clube que ainda está em formação e naquele momento eu acabei preferindo aceitar a oferta do ABC. Pelo projeto, pela grandeza e a visibilidade -, contou.

O atacante também comemorou a boa fase em 2020, afirmando que está trabalhando duro para garantir que o bom momento não chegue ao fim e que ele possa desfrutar ao máximo possível.

- Eu estou muito feliz pelo momento, pela fase. São oito jogos e oito gols até o momento e eu estou me cuidando bastante para que esse momento não termine. Quero fazer um grande ano, estou muito focado para isso e venho trabalhando e treinando muito forte desde as minhas férias e eu acho que por isso também que eu estou tendo bons resultados. Tem todo esse acompanhamento para que as coisas possam dar certo. Eu fui bem recebido no ABC pelos companheiros, comissão técnica e torcida, com um grupo maravilhoso onde já estou adaptado -, comemorou.

O atleta também avaliou o início de sua estadia com a camisa do ABC, e classificou sua estreia decisiva como "dos sonhos". Afinal, não é todo dia que você faz o gol do título contra o maior rival.

- Início melhor do que esse impossível. Desde a minha chegada, à pedido do professor Diá que é um cara que eu agradeço muito pela oportunidade de estar falando com ele e vem fazendo um grande trabalho com a nossa equipe, eu não tive dúvidas de vir e dar continuidade ao que eu vinha fazendo no Cascavel. Acho que uma estreia melhor do que a que eu tive aqui é impossível.

Se tratando de uma final de campeonato estadual contra o maior rival na nossa casa, eu tive essa oportunidade e com certeza vai ficar marcado na minha carreira por fazer o gol de empate no final do segundo tempo e dando o título para a nossa nação. Foi uma estreia dos sonhos. Logo no jogo seguinte eu pude fazer mais três gols na partida, meu segundo hat trick do ano. É desfrutar desse momento, mas com muita humildade e trabalho para dar sequência nessa fase boa. Tenho que trabalhar bastante para não perder isso -, comemorou.

Paulo Sérgio revelou que ao chegar no Rio Grande do Norte, ele recebeu uma oferta do América-RN, que tentou atravessar o negócio e furar o olho do rival ABC. Mas como o atleta disse, quando ele dá a palavra, ele não volta atrás.

- Ao chegar aqui teve sim uma situação para eu pular o mulo e ir para o América-RN, mas eu já tinha dado minha palavra, e quando eu dou minha palavra eu não volto atrás -, finalizou.

*Estagiário, sob supervisão de Yuri Hernandes