Palmeiras e Athletico seguem negócio por Rony; Corinthians só monitora

Diretorias do Verdão e Furacão tiveram nova conversa nesta sexta-feira, mas impasse entre o time paranaense e o estafe do jogador tem dificultado o avanço. Entenda os detalhes

Lance

Lance

Lance

Palmeiras e Athletico tiveram nesta sexta-feira mais uma conversa para tratar da negociação de Rony. O impasse entre a diretoria do Furacão e o estafe do atacante, porém, dificulta o avanço das tratativas. O Corinthians, que também demonstrou interesse no jogador, no momento apenas monitora o caso.

Pessoas ouvidas pela reportagem entendem que a boa relação das diretorias de Verdão e Furacão faz com que o negócio siga vivo. Em meio à conversa "transparente" entre os clubes, não há um prazo para a definição do futuro do jogador de 24 anos de idade, que está treinando com o time B no Paraná.

O Palmeiras ofereceu os 6 milhões de euros (R$ 27,6 milhões) que o Athletico deseja pelos 50% dos direitos econômicos de Rony. O problema é: o estafe do atacante entende que deve receber a metade do valor em uma venda (no caso, 3 milhões de euros, ou R$ 13,8 milhões). Já o Furacão considera que precisa repassar apenas 1 milhão de dólares (R$ 4,1 milhões), independente da quantia que receba em uma possível transação.

Pessoas ligadas a Rony são categóricas ao afirmar que o negócio não sairá se o Athletico se recusar a repassar 50% da quantia recebida. Mesmo que isto signifique continuar sem jogar, trabalhando com a equipe de aspirantes. A relação entre o clube e o atleta já é ruim desde a proposta de renovação de contrato, considerada baixíssima por quem cuida da carreira do atleta. Seu contrato se encerra no meio de 2021.

A diretoria alviverde, que teve na quarta um encontro em Curitiba (PR) com a cúpula atleticana, aguarda a definição do outro lado da negociação para resolver os detalhes da contratação. O atacante é bem avaliado por Vanderlei Luxemburgo e pode ser o primeiro reforço alviverde para a temporada.

O Corinthians, que mostrou interesse em Rony até antes do arquirrival, neste momento está mais frio na disputa. O clube não se mostra disposto a pagar os 6 milhões de euros pela fatia do Athletico e só voltaria com força ao negócio, caso a diretoria paranaense se mostrasse disposta a diminuir a pedida - o Palmeiras, por sua vez, já topou pagar o valor.

Rony trabalhou com Tiago Nunes no Athletico entre 2018 e 2019, e juntos eles conquistaram a Copa Sul-Americana e a Copa do Brasil. O técnico deseja tê-lo no Timão, mas diante da pedida considerada alta demais, a diretoria alvinegra avalia no mercado outras opções de lado de campo.