Lance Organizada do Cruzeiro admite repasse de testes de Covid-19 fora do padrão para associados

Organizada do Cruzeiro admite repasse de testes de Covid-19 fora do padrão para associados

A Máfia Azul emitiu um comunicado afirmando que os testes utilizados pelos membros da torcida para terem acesso ao jogo Cruzeiro e Confiança, na Série B

Lance
Lance

Lance

Lance

Além das aglomerações, uso incorreto, ou não uso de máscaras e quebra de protocolos de segurança sanitárias para prevenir a Covid-19, outro problema com torcedores que foram ao jogo Cruzeiro e Confiança-SE, pela Série B, na sexta-feira, 20 de agosto: A Máfia Azul, torcida organizadas do Cruzeiro, revelou que usou testes irregulares de Covid-19 para que seus associados pudessem apresentar o exame na entrada do Mineirão e cumprir a exigência para acesso ao estádio.

A torcida fez uma postagem em sua página no Instagram e se posicionou sobre o fato. Na sede da Máfia Azul, os torcedores fizeram os testes. A sede da organizada, que foi usada para que os exames fossem feitos, foi interditada pela Prefeitura de Belo Horizonte por “não ter licenciamento da Vigilância Sanitária para tal atividade e por estar aplicando teste indevido para o protocolo requerido”.

Na nota oficial, a Máfia Azul admite que os testes disponibilizados não eram os adequados e afirma que houve um erro de comunicação com o laboratório fornecedor.

Fatos como esse e o mau comportamento dos torcedores nos jogos do Cruzeiro contra o Confiança e do Atlético-MG , fizeram a Prefeitura de BH vetar novamente a presença de torcedores nas arenas esportivas da capital mineira.

Confira, na íntegra, a nota divulgada pela Máfia Azul:

NOTA OFICIAL

A torcida Máfia Azul vem por meio desta se posicionar a respeito dos exames de COVID-19 realizados em sua sede.

A torcida Máfia Azul assume sua responsabilidade sobre os exames realizados em sua sede nos dias 19 e 20.

Acontece que houve uma falha de comunicação entre a torcida e o laboratório a respeito dos testes, de qual era exigido pela prefeitura de Belo Horizonte. A intenção era simplesmente ajudar seus integrantes e torcedores simpatizantes a retornarem ao estádio pagando um preço mais acessível tendo em vista os valores praticados para esta partida.

Pontuamos que nesses testes a torcida não obteve nem 1 centavo de lucro, apenas em parceria cedemos o espaço para que fosse feito toda bateria de exames.

No final da tarde de ontem logo que fomos notificados oficialmente que o teste realmente não seria válido pela prefeitura, prontamente colocamos a disposição outro laboratório para que o torcedor pudesse fazer outro exame sem custo adicional, sendo assim até às 20:00 aproximadamente 100 pessoas estiveram na Rua dos Otoni 82, Santa Efigênia, no laboratório São Paulo, para realização da troca de seus exames.

Desde já a torcida se coloca à disposição do torcedor para esclarecer qualquer dúvida. E aos que não conseguiram entrar em contato com a torcida, podem estar comparecendo em sua sede na Rua Timbiras 2878, Barro Preto. Que a partir desta manhã e no decorrer da semana está de prontidão para de alguma forma resolver qualquer eventual problema causado.

ATT. DIRETORIA MÁFIA AZUL

Últimas