Lance Novidade para os Jogos Olímpicos de Paris, Fórmula Kite terá mais de 150 atletas em Mundial na Itália

Novidade para os Jogos Olímpicos de Paris, Fórmula Kite terá mais de 150 atletas em Mundial na Itália

Brasileiros no principal evento de kite do mundo fizeram inspeção de equipamento

Lance
Lance

Lance

Lance

O Mundial de Fórmula Kite será disputado a partir desta quarta-feira, em Torre Grande (Oristano), na Itália, com mais de 150 atletas de 27 países. As regatas da nova classe para Paris-2024 contam com três brasileiros: Bruno Lobo, Cláudio Cruz e Socorro Reis. Será o primeiro Campeonato Mundial da IKA – Associação Internacional de Kiteboarding realizado nos mesmos formatos das provas olímpicas.

A organização destinou a terça-feira para fazer as medições oficiais dos equipamentos que serão usados nas regatas, que serão válidas até o dia 17 de outubro. Os fiscais fazem testes para ver se os hidrofoils estão registrados nas medidas corretas e no peso máximo ou mínimo da classe.

Os brasileiros também participaram do dia de mídia, com fotos oficiais e entrevistas. Atual campeão Pan-Americano e apontado como um dos grandes nomes do Mundial de Fórmula Kite, o maranhense Bruno Lobo está animado com o crescimento da categoria, além da chance de medir forças com os melhores do planeta.

- É uma modalidade que cresce muito e a cada competição o nível aumenta, motivando também por ser uma classe olímpica. Fizemos nosso dever de casa, nos dedicamos e esperamos colocar a bandeira do Brasil no lugar mais alto do pódio - disse Bruno Lobo, que viajou à Torre Grande para o Mundial de Fórmula Kite com o apoio da Confederação Brasileira de Vela (CBVela).

- Serão cinco dias de competição aqui na Itália com condições perfeitas para a prática do kite. Estou animado para as regatas - completou o campeão dos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019.

A também maranhense Socorro Reis quer evoluir mais e levar o conhecimento adquirido nas regatas na Itália para melhorar ainda mais seu velejo nas regatas no Brasil. A melhor do País e segunda da América sonha em ver mais meninas correndo de Kite.

- O objeto é voltar ao Brasil com outra visão, uma outra experiência. Competir no exterior abre portas de aprendizado. Aqui para o Mundial vamos velejar em condições perfeitas. Agora ir com tudo e dar o nosso melhor, representando nosso País e nosso estado do Maranhão - contou Socorro Reis.

Em Paris-2024, além da Fórmula Kite, o calendário olímpico terá IQFoil e 470 mista como novidades em relação à Tóquio 2020.

Últimas