Mesa-tenista paralímpica brasileira morre com suspeita de coronavírus

Eliane Corrêa disputava torneios nacionais pela AACD de São Paulo

Lance

Lance

Lance

A mesa-tenista brasileira Eliane Corrêa morreu no último sábado, em São Paulo, com suspeita do novo coronavírus. A atleta, de 48 anos, se sentiu mal, com falta de ar, foi levada ao hospital por familiares e permaneceu em um andar de pacientes suspeitos de Covid-19. Ela tinha problemas respiratórios e se enquadrava no grupo de risco.

Os médicos que atenderam a atleta acreditaram se tratar da infecção causada pelo vírus. O laudo apontou insuficiência respiratória Covid-2 como causa inicial da morte e o resultado do teste para confirmação da doença será divulgado apenas em dez dias.

Eliane era atleta da classe 4, e frequentemente disputava competições nacionais da CBTM, jogando pela AACD-SP. Ela era professora e uma apaixonada por samba, desfilando na ala inclusiva da Rosas de Ouro. Em razão da suspeita da doença, não foi realizado velório antes de seu sepultamento.

A CBTM, através de seu presidente Alaor Azevedo, diretoria e corpo de funcionários, manifesta os sentimentos de pesar à toda a família.

O presidente do Comitê Paralímpico Brasleiro (CPB), Mizael Conrado, também lamentou a morte de Eliane.

"Lamentamos profundamente a morte, no sábado, 28, da atleta do tênis de mesa paraolímpico, Eliane Correa, vítima do COVID-19, este inimigo invisível que ora apavora a nós todos. À família e aos amigos da Eliane, o
@cpboficial presta as mais pesarosas condolências", escreveu o dirigente, que em seguida destacou tratar-se de suspeita, até que saia o resultado do exame.