Mais Esportes Duda/Tainá e Jonas/Maia conquistam etapa de Campo Grande do Circuito Sub-23

Duda/Tainá e Jonas/Maia conquistam etapa de Campo Grande do Circuito Sub-23

Equilíbrio, reencontros e a estreia de uma parceria marcaram a decisão do Circuito Banco do Brasil Sub-23, realizado nesta quarta-feira (10.06), no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande (MS). Nenhuma das equipes que venceu a primeira etapa repetiu o lugar mais alto do pódio. Na decisão do feminino, Duda e Tainá (SE) superaram Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) por 2 sets a 1 (18/21, 21/14, 15/2). No masculino em uma disputa carioca, melhor para Jonas/Maia (RJ), que superou Vinícius e Matheus Baby (RJ) por 2 sets a 0 (21/15, 21/16).

Andressa/Paula Hoffmann (PB/RJ) e Eduardo Davi/Arthur Lanci (PR) completaram o pódio com a medalha de bronze. Os campeões do Sub-23 recebem R$ 3,7 mil como premiação, além de 200 pontos no ranking que define os campeões da temporada. A próxima parada ocorre de 30 de junho a 2 de julho, em Vitória (ES).

A final marcou o reencontro de Duda com uma antiga parceira, a sergipana Tainá. Ambas foram campeãs mundiais Sub-19 em 2013 e voltaram a formar parceria na etapa, conquistando o ouro.

- É muito bom jogar ao lado da Tainá, nós temos essa química muito grande que vem desde o título Mundial Sub-19. Ficamos quatro meses sem nos vermos e treinarmos, e a volta foi muito legal, é um entrosamento bastante natural. E jogar o Sub-23 é muito bom, são atletas mais próximos da minha idade, pessoas que conheço desde os torneios da base. Fico feliz de ter conquistado esse título - declarou Duda.

A decisão feminina também colocou frente a frente duas campeãs dos Jogos Olímpicos da Juventude. Se na China elas estiveram do mesmo lado para conquistarem o ouro - na primeira participação do vôlei de praia no torneio olímpico de base - em Campo Grande (MS), Duda e Ana Patrícia duelaram em lados opostos. E em um lance de azar, a mineira acabou torcendo o tornozelo, abandonando a partida no tie-break e ficando com a prata.

- Claro que nunca é legal vencer quando o adversário se lesiona, eu tenho muito carinho e respeito pela Ana Patrícia, conquistamos uma Olimpíada juntas. É triste, mas temos que entender, faz parte da vida de atleta. Ela vai se recuperar e continuar chegando longe, é uma jogadora com muito potencial - destacou a sergipana.

A disputa de bronze teve vitória de Andressa/Paula Hoffmann (PB/RJ) sobre Beatriz/Amanda (RJ) por 2 sets a 1 (21/16, 15/21, 15/11), em 58 minutos. Horas antes, na semifinal, Duda e Tainá (SE) haviam vencido Beatriz/Amanda (RJ) por 2 sets a 0 (21/12, 21/9), em 29 minutos. Na outra semifinal, Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) tinham superado Andressa/Paula Hoffmann (PB/RJ) também por 2 sets a 0 (21/18, 23/21), em 43 minutos de duração.

No masculino, uma final entre cariocas e com uma parceria de última hora. No primeiro torneio juntos, Jonas e Maia (RJ) se destacaram e subiram ao lugar mais alto do pódio. O resultado empolgou e a dupla será mantida para os próximos torneios.

- O nível estava muito alto. Temos duplas campeãs mundiais de base, que já estão disputando o Circuito Brasileiro Open, então é uma emoção gigantesca chegar e vencer o Sub-23. Na primeira etapa viemos com parceiros diferentes e não tivemos os resultados desejados, então nos juntamos e felizmente deu tudo certo. O Maia é um garoto sensacional, me ajudou, deu força e eu tente retribuir também. Aquele lance em que eu corri até a placa para evitar o ponto é um exemplo da nossa garra e vontade em vencer - disse Jonas.

- Acho que o fator positivo foi ter mantido a cabeça no lugar durante todo o campeonato. Recebi muitos saques, mas consegui um bom padrão de jogo para avançarmos. E tenho que agradecer muito ao ‘Robinho’ também, que jogou demais na final. Nos juntamos há poucos dias e conseguimos o objetivo principal - comemorou Maia.

A disputa de bronze colocou Eduardo Davi e Arthur Lanci (PR) no pódio. Eles superara Léo Moraes e George (PB) por 2 sets a 1 (21/14, 19/21, 15/12). Horas antes, Maia/Jonas (RJ) haviam se credenciado à final após vencerem Eduardo Davi/Arthur Lanci (PR) por 2 sets a 1 (19/21, 21/13, 12/15), em 55 minutos. Vinícius e Matheus Baby (RJ) passaram para a decisão ao derrotarem Léo Morais/George (PB) de virada, em 2 sets a 1 (19/21, 21/19, 15/9), em 50 minutos de duração.

    Access log