Lance Lateral da Alemanha luta contra fama de 'bichado' para ser titular na Copa do Mundo

Lateral da Alemanha luta contra fama de 'bichado' para ser titular na Copa do Mundo

Lukas Klostermann enfrenta histórico de lesões para poder, enfim, assumir posição

Lance
Lance

Lance

Lance

Bastou Lukas Klostermann ser substituído aos 30 minutos do primeiro tempo da vitória da Alemanha por 1 a 0 sobre Omã, em amistoso na última quarta-feira (16), para que os torcedores da Alemanha arregalassem os olhos temendo um novo problema de contusão do lateral-direito do Leipzig que pudesse lhe tirar da Copa do Mundo.


+ Copa do Mundo: saiba os dez jogadores da competição mais populares no Instagram

O temor não é para menos. Klostermann, 26 anos, tem no Mundial do Qatar a chance definitiva de se fixar como titular da posição no escrete germânico, algo difícil pelo histórico conturbado.

Desde que surgiu no futebol nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, quando ficou com a medalha de prata perdendo a final para o anfitrião Brasil, o lateral-direito se tornou uma espécie de eterna aposta alemã para a posição. Que nunca se concretizou.

Na última Copa, na Rússia, em 2018, Klostermann acabou cortado da relação final por... contusão.

Na última Eurocopa, também com campanha pífia dos germânicos, era para ser titular absoluto da posição, mas não pôde jogar devido a uma ruptura na fibra muscular.

- Eu certamente aprendi naquela época quais características especiais um torneio tão grande envolve, foi uma experiência importante. Haverá altos e baixos ao longo de um torneio. É ainda mais importante não enterrar a cabeça na areia quando as coisas não vão bem por um momento, mas se concentrar no essencial e procurar imediatamente a próximo chance.

Sequência de contusões que o deixa com o número baixo de 19 partidas internacionais disputadas pela Alemanha até o momento, às vésperas da primeira Copa. Algo que esteve sob risco após a ruptura da sindesmose.

- Ficou claro desde a lesão no início de agosto que eu estaria completamente em forma novamente três meses depois de acordo com o planejado - e foi assim que aconteceu. Foi um pouso de precisão, mas agora vejo que estou muito confiante nas próximas semanas. Já há algum tempo que voltei totalmente aos treinos da equipe e em um estado em que posso ajudar. Se o técnico não tivesse sido convencido disso, ele provavelmente também não teria me indicado.

Após o amistoso em Omã, Hansi Flick correu para explicar que a substituição de Klostermann estava planejada. Já que o lateral não teve tempo hábil para ser experimentado em campo pelo Leipzig. Estava previsto que atuasse no duelo contra o Werder Bremen, pelo Campeonato Alemão, na última rodada antes da pausa para o Mundial. O que não foi possível por causa da dificuldade para segurar a vitória por 2 a 1.

- Infelizmente, isso não aconteceu porque o andamento do jogo em Bremen também não era adequado para isso. Você honestamente tem que dizer que o resultado da equipe vem em primeiro lugar e não dá aos jogadores prática de jogo, não importa o quê.

Mas, se está livre de risco, como sugere, Klostermann busca exatamente no torneio olímpico em terras cariocas, sua única experiência internacional, as motivações para a Copa. Na ocasião, ele já havia experimentado o que é um torneio de sucesso. Como agora no Qatar, a preparação foi muito curta.

- Naquela época, tínhamos um número semelhante de dias até o primeiro jogo e ainda assim correu muito bem com a medalha de prata. Então eu tomo isso como um bom presságio.

> Confira a tabela e simule resultados da Copa do Mundo-22 do Qatar
> Conheça o novo aplicativo de resultados do LANCE!

Últimas