Kalou é o 7º africano a marcar um gol em Campeonato Brasileiro

Relembre os africanos que já marcaram gols em Campeonatos Brasileiros

Lance

Lance

Lance

Por muitos anos, o futebol brasileiro contou com poucos estrangeiros. Na última década, porém, o número cresceu. Além disso, o mercado parece ter se expandido. Antes muito limitado a jogadores sul-americanos, principalmente argentinos e uruguaios, hoje é comum termos venezuelanos, equatorianos e até europeus, como os espanhóis Pablo Marí, campeão com o Flamengo em 2019, e Juanfran, lateral do São Paulo.

O Botafogo, em 2020, foi além, trazendo o japonês Honda e o marfinense Salomon Kalou. Esse segundo, autor de um dos gols botafoguenses no empate em 2 a 2 com o Corinthians, neste sábado. Foi o seu primeiro com a camisa alvinegra e um raro tento anotado por um africano no Campeonato Brasileiro.

Apesar da competição já ter contado com quase 300 estrangeiros ao longo de sua história, apenas 13 vieram da África. Destes, contando Kalou, apenas sete estufaram as redes. A grande maioria, inclusive, pouco atuou.

O primeiro africano a marcar um gol no Brasileirão foi o nigeriano Ricky, na vitória do América, do Rio, por 3 a 1, sobre o Rio Branco, do Espírito Santo, em 1984. Dez anos mais tarde, marcou mais duas vezes, dessa vez defendendo o Vitória, da Bahia, onde virou ídolo.

Ainda na década de 80, mais precisamente em 1988, foi a vez de outro nigeriano marcar pelo Vitória: Benjy. O atacante, nascido em Port Harcourt, deixou sua marca uma única vez, no empate em 2 a 2 com o São Paulo.

Um africano só voltaria a marcar em 1995, com o moçambicano Nuno Robalo. Atuando pelo Paysandu, na equipe que tinha Biro-Biro e Catanha, o meia estufou as redes quatro vezes em 15 jogos.

Neste século, com o aumento de estrangeiros, chegaram também mais atletas nascidos na África. Em 2006, o angolano Johnson, que já havia passado por Londrina, Gama e Portuguesa, entre os times do Brasil, marcou três gols em 18 jogos pelo Goiás no Brasileiro. Sete anos mais tarde, Geraldo, seu compatriota, também marcou três vezes enquanto defendia o Coritiba.

O maior artilheiro africano, no entanto, não é nem angolano, nem nigeriano, muito menos marfinense: é o camaronês Joel. Natural de Nkongsamba, o atacante chegou ao Brasil com apenas 16 anos para atuar na base do Iraty. Seu primeiro Brasileiro, porém, foi pelo Coxa, em 2014. Na ocasião, marcou oito gols e foi um dos destaques, chamando a atenção do Cruzeiro, que o contratou.

Joel defendeu ainda o Santos e o próprio Botafogo, totalizando 14 bolas na rede em 75 partidas de Série A. O atacante atualmente defende o Marítimo, de Portugal.

ARTILHEIROS AFRICANOS NO BRASILEIRO

1º - Joel - camaronês - 14 gols em 75 jogos
2º - Nuno Robalo - moçambicano - 4 gols em 15 jogos
3º - Geraldo - angolano - 3 gols em 52 jogos
Ricky - nigeriano - 3 gols em 16 jogos
Johnson - angolano - 3 gols em 21 jogos
6º - Benjy - nigeriano - 1 gol em 14 jogos
Kalou - marfinense - 1 gol em 2 jogos