Lance Justiça da Suíça anula condenação de Cuca por violência sexual

Justiça da Suíça anula condenação de Cuca por violência sexual

Caso aconteceu em 1987, quando o ex-jogador atuava pelo Grêmio

Lance
Lance

Lance

Lance

A Justiça da Suíça, através do Tribunal Regional de Berna-Mittelland, anulou a condenação de Alexi Stival, o Cuca, pelo crime de violência sexual. O caso ocorreu em 1987, quando o técnico brasileiro era jogador do Grêmio e participava de excursão com o time ao país europeu. Na época, ele e mais três atletas foram acusados de violentar uma jovem de 13 anos, sem consentimento.

➡️ Siga o Lance! no WhatsApp e acompanhe em tempo real as principais notícias do esporte

De acordo com publicação inicial do jornal "Folha de São Paulo", o processo foi extinto. Em 2022, a juíza Bettina Bochsler acatou argumentação da defesa de Cuca, alegando que o acusado foi condenado à revelia. Ou seja, o treinador não teria contado com direito de defesa e haveria necessidade de um novo julgamento.

Após o acolhimento da alegação da defesa, o Ministério Público suíço afirmou que não seria possível realizar um novo julgamento. Isso porque o crime estava prescrito (perda do direito de se demandar judicialmente algo, em razão da expiração do tempo limite). Então, foi sugerida a anulação da pena.

Apesar da extinção do processo, a Justiça não entrou no mérito sobre a inocência ou não de Cuca. O Lance! contatou o treinador em busca de um posicionamento oficial, mas até o momento da publicação da matéria não obteve resposta.

O último trabalho de Cuca foi no Corinthians, em 2022. Ele chegou ao clube em 20 de abril do ano passado, mas deixou o deixou o Timão cerca de uma semana depois. O técnico interrompeu a carreira para tratar de assuntos particulares, especialmente o caso em questão.

O advogado que defendeu a jovem na época, em 1987, chegou a afirmar que Cuca foi reconhecido pela vítima como um dos estupradores. O brasileiro sempre negou as acusações.

Últimas