Lance Jogador esfaqueado por diretor em Alagoas desiste do futebol: 'Não quero mais'

Jogador esfaqueado por diretor em Alagoas desiste do futebol: 'Não quero mais'

João Guilherme, conhecido como "Cabelinho", se recuperou do ataque — mas não quer voltar ao futebol

Lance
Lance

Lance

Lance

Esfaqueado pelo gerente de futebol da própria equipe, o ex-jogador João Guilherme não quer mais voltar ao futebol. Em entrevista ao portal GE, o agora ex-lateral, de 22 anos, disse que está em uma nova profissão e não pensa mais em voltar a jogar bola.

No dia 30 de junho de 2022, Anderson Salgueiro, gerente de futebol do FF Sport, atacou João com uma faca na concentração do clube, que disputava a Segunda Divisão de Alagoas. Ferido no tórax, o atleta precisou passar por cirurgia.

+ Roger Guedes se aproxima da ponta: veja os maiores artilheiros da Neo Química Arena

- Atualmente, trabalho na Ceasa, carregando caixas de verduras e legumes. Saio de casa às 4 horas da manhã para trabalhar. Não dá mais, não quero mais jogar bola. Agora, meu foco é trabalhar. Tenho outros objetivos em mente, como terminar os estudos e seguir a vida - disse João Guilherme, que é conhecido como "Cabelinho".

+ Douglas Costa tem prisão decretada por não pagamento de pensão alimentícia

Recuperado do ataque e sem sequelas, João Guilherme deixou Alagoas e foi morar na cidade de Mogeiro, no interior da Paraíba. Cerca de um ano após o crime, o ex-jogador admite que a sequência dos fatos o surpreendeu.

+ Cupom LANCEFUT com 10% OFF para os fanáticos por esporte em compras acima de R$299,90

- Passa muita coisa na mente da gente. Infelizmente, a gente nunca espera que vá acontecer isso com a gente, mas infelizmente aconteceu. Vida que segue e, infelizmente, tive que trocar as chuteiras pela bota. Agora é só trabalhar, nada de futebol mais - reafirmou.

+ TNT e HBO Max anunciam Adriano Imperador e Alex como reforços da equipe para a final da Champions League

Por fim, questionado sobre o que diria ao agressor caso tivesse a oportunidade de encontrá-lo, João foi breve: "Que Deus abençoe ele". Anderson, por sua vez, segue preso no estado de Alagoas.

Últimas