Lance Fla vence CSA e se aproxima dos líderes antes da parada do Brasileiro

Fla vence CSA e se aproxima dos líderes antes da parada do Brasileiro

Rubro-Negro vence o Azulão, por 2 a 0, no Mané Garrincha e fica em situação confortável na nona rodada da competição

Com a presença do Presidente, Jair Bolsonaro, e do Ministro Sérgio Moro, Rubro-Negro vence o Azulão, por 2 a 0, no Mané Garrincha e fica em situação confortável no Brasileirão

Lance

Lance

Lance

O favoritismo se confirmou e o Flamengo venceu o CSA, nesta quarta-feira, por 2 a 0, no Mané Garrincha, em Brasília. Vitinho e Gabigol marcaram os gols rubro-negros, no segundo tempo, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, última antes da parada para a Copa América. 

Com o resultado, o Rubro-Negro subiu para a terceira colocação, com 17 pontos e aproximou-se dos líderes, Santos e Palmeiras, que têm 20 e 19, respectivamente. O Azulão segue na vice-lanterna, com seis pontos. O Fla volta a campo, no dia 10 de julho, para disputar a partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Athletico-PR, fora de casa. Já o Azulão, visita o Corinthians no dia 14 de julho, pelo Brasileirão.

Equilíbrio no início
Mesmo diante da imensa maioria rubro-negra no Mané Garrincha, o CSA, mandante da partida, não se intimidou. O time alagoano foi para cima do Flamengo, embalado pelo talentoso Victor Paraíba. O time carioca, no entanto, não demorou a equilibrar as ações e dominar a posse de bola. Vitinho era o mais efetivo da equipe na criação. Foi dele também uma pancada que assustou Jordi. O goleiro, ex-Vasco foi um dos destaques do Azulão e fez mais duas grandes defesas em chute de Everton Ribeiro, e no rebote do camisa 11 do Fla.

Eternidade no VAR
Muito fechado a partir da intermediária defensiva, o CSA acabou atraindo o ataque rubro-negro. Mas o time da Gáves voltou a ter dificuldades na hora de finalizar. Gabigol e Bruno Henrique desperdiçaram oportunidades de abrir o placar no final da primeira etapa. O momento mais marcante dos 45 minutos iniciais, entretanto, se deu na beira do campo. O árbitro Douglas Marques das Flores demorou mais de cinco minutos para analisar um possível pênalti para o Alviceleste, em bola que bateu no braço de William Arão.

Sai o gol rubro-negro
A segunda etapa começou com a mesma dinâmica da anterior. O Flamengo pressionava em busca do gol, mas perdeu diversas oportunidades. Jordi continuou sendo melhor em campo retardando ao máximo o gol dos rivais. A solução para o Rubro-Negro veio de um lance de bola parada. Depois de cobrança de escanteio curta, Evérton Ribeiro cruzou na medida para Vitinho subir mais que a zaga alagoana e abrir o placar, de cabeça.

Gabigol amplia
Depois do primeiro gol, o Fla não tirou o pé do acelerador e manteve o bombardeio contra o gol de Jordi. Gabigol, que já havia perdido várias chances na partida, enfim, deixou o dele no rebote de um chute de Arão. O camisa 9 chegou a 14 gols na temporada e passou Bruno Henrique, com 13, no duelo pela artilharia. Resultado para dar tranquilidade e deixar o Fla perto do topo da tabela, antes da parada para a Copa América.

CSA 0 x 2 FLAMENGO

Data/Hora: 12/06/2019, às 19h (de Brasília)
Local: Mané Garrincha, Brasília (DF)
Gramado: Bom
Público/Renda: 37.673/ R$ 2.949.665,00
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP) Nota L! - 5,5 - Muita demora na consulta ao vídeo
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
Árbitro de vídeo: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Didira, Jonatan Gomez, Leandro Souza (CSA); Gabigol (FLA)
Cartão vermelho: Não houve.


Gols: Vitinho (20’/2ºT, 0-1), Gabigol (31’/2ºT, 0-2)

CSA: Jordi; Celsinho, Gerson, Leandro Souza e Carlinhos; Nilton (Patrick Fabiano, 32’/2ºT), Apodi (Maranhão, 25’/2ºT), Didira e Jonatan Gomez; Cassiano e Victor Paraíba (Gerson Júnior, 38’/2ºT). Técnico: Marcelo Cabo

FLAMENGO: César; Rodinei (João Lucas, 43’/2ºT), Thuler, Rodrigo Caio e Renê; Piris da Motta, Willian Arão e Everton Ribeiro; Vitinho, Gabriel (Berrío, 42’/2ºT) e Bruno Henrique (Lincoln, 37’/2ºT). Técnico: Marcelo Salles