Lance Enzo Fleischhauer: da capoeira às vitórias na ginástica de trampolim

Enzo Fleischhauer: da capoeira às vitórias na ginástica de trampolim

Enzo Fleischhauer: da capoeira às vitórias na ginástica de trampolim

Lance
Lance

Lance

Lance

Ainda na infância, aos 4 anos, Enzo Fleischhauer ensaiou os primeiros movimentos na capoeira. Três anos depois, começou na ginástica olímpica. E, aos 11, se encantou com a ginástica de trampolim, modalidade à qual vem se dedicando desde então. Hoje, aos 15, coleciona conquistas estaduais e, no início de outubro, venceu o Brasileiro Infanto-Juvenil, em Aracaju, Sergipe.

- Significou um avanço para mim, porque competi com movimentos mais difíceis e aumentou minha confiança para as próximas competições – acredita Enzo.

No próximo dia 13, o adolescente, que é atleta da Equipe Tatiana Figueiredo e cujo maior sonho é disputar as Olimpíadas, disputa o Torneio Estadual, sua última competição em 2021. Sempre focado em seguir evoluindo:

- As medalhas são a representação de várias conquistas. Mas o que conta, para mim, de verdade, em um atleta, é se superar e enfrentar os medos que batem à sua porta.
Enzo, que chegou a praticar futebol, judô e natação, ficou encantado com a capoeira, que aprendeu no Colégio Franco-Brasileiro, onde estuda há 12 anos. O aluno, aliás, é muito grato à escola e ao professor Davi Mousterou, de capoeira:

- O Franco sempre esteve lá para mim, e me fez conhecer e experimentar vários esportes: capoeira, Judô e futsal. Quem me incentivou, incentiva e me acompanha sempre até hoje é o professor Davi, que se tornou parte da minha família. Conhecê-lo mudou minha vida, ele me ensinou disciplina, música, coragem, a tocar instrumentos, a não ter medo e como encarar desafios e medos como um real atleta. Ele é como um pai para mim – reconhece o ginasta.

Davi conta que o carinho pelo amigo é recíproco:
- Conheço o Enzo desde a barriga da mãe. A irmã dele estudou no Franco e fez capoeira comigo e, logo depois, ele nasceu. Ele sempre foi muito atencioso na aula, dócil demais, vi que tinha um talento incrível para as flexibilidades, os saltos da capoeira. Sempre foi muito emocionante ver o brilho no olhar dele ao evoluir nas aulas. A gente sempre se fala. Recentemente, quando foi campeão brasileiro, foi emoção pura ver a evolução daquele menino. Sempre lhe falei, desde pequeno: quero te ver nas Olimpíadas. Sempre falo para acreditar nos sonhos, que ele vai conseguir. Ele é um garoto fenomenal, tenho muito carinho por toda a família, os pais e a irmã.

Fã de Biologia, Português e História

Além de Davi, outros professores têm marcado a trajetória de Enzo no Franco:

- O colégio é a base do meu ensino e da minha formação, e do meu círculo de amigos. O Franco me ajudou a descobrir minha vida de atleta, e a desenvolver minhas habilidades gerais, como o Francês, Teatro, Português e História. As aulas do professor Thiago Acampora me ajudaram a descobrir minhas habilidades em handebol e vôlei. E o professor Marconny me ajudou a descobrir o quanto eu gosto de Biologia. Estou no 9⁰ ano, ansioso para o novo Ensino Médio e para explorar meus dons junto ao Franco.

Mais um estímulo para um campeão na ginástica de trampolim.

Últimas