Lance Em final emocionante, Rayssa Leal é prata no Circuito Mundial de Skate Street 2023

Em final emocionante, Rayssa Leal é prata no Circuito Mundial de Skate Street 2023

Em Tóquio, brasileira chegou a liderar perto do fim da prova, mas foi ultrapassada pela japonesa Yumeka Oda

Lance

Rayssa Leal conquistou neste domingo (17) o segundo lugar no Circuito Mundial de Skate Street 2023, na pista do Parque Esportivo Urbano de Ariake, em Tóquio (Japão), em uma prova com emoção até o final, na qual ficou muito perto de se tornar bicampeã.

➡️ Siga o Lance! no WhatsApp e acompanhe em tempo real as principais notícias do esporte

Medalhista olímpica de prata no mesmo local nos Jogos de 2020, a brasileira liderava até a quarta volta de manobras, quando foi ultrapassada na classificação geral pela japonesa Yumeka Oda, que assumiu o primeiro lugar do pódio. Momiji Nishiya, ouro na disputa na Olimpíadas em Tóquio, foi a terceira colocada, enquanto a também Pâmela Rosa caiu na semifinal.

Ao fim da prova, Oda chegou aos 265,75 pontos e Rayssa ficou com 261,90. Em sua melhor volta na pisara, a "Fadinha" alcançou uma pontuação de 84,15 e teve suas duas melhores manobras avaliadas em 86,94 e 90,91. Já a skatista da casa, obteve 84,22 no percurso, mais 86,73 e 94,80, sendo a última performance a que decidiu o título a favor de Oda. A manobra foi tão impressionante que até mesmo Rayssa Leal comemorou. Momiji Nishiya acabou com uma pontuação de 245,76.

Com o resultado, Rayssa Leal atinge o quarto pódio em mundiais sob organização da World Skate, tendo sido prata em 2019 (São Paulo), bronze em 2021 (Roma) e ouro na edição de 2022, realizada esse ano em Sharjah, nos Emirados Árabes. Em sua última competição antes de Tóquio, a maranhense foi bicampeã mundial do Super Crown da Street League de Skate (SLS), em São Paulo.

O formato de disputa da fase classificatória e quartas de final considerou apenas a melhor volta de duas apresentações de 45 segundos. A partir das semifinais, uma sessão de melhor manobra foi adicionada, com as duas maiores notas entre cinco chances sendo usadas para determinar a pontuação final.

Nas semifinais, Rayssa avançou à decisão com a quarta melhor nota entre as oito classificadas. A primeira colocada foi a australiana Chloe Covell, que terminou a competição em quarto lugar.

DONOS DA CASA DOMINAM NO MASCULINO

Se Rayssa Leal foi a "intrusa" entre as donas da casa no feminino, isso não aconteceu na disputa masculina: todos os três primeiros colocados foram japoneses, para a alegria da torcida local, e com diferenças de pontuações bem pequenas entre si.

Shirai Sora venceu com 276,81 - 86,00 na melhor volta e 95,66 nas manobras, enquanto Netsuke Kairi somou 273,60 - com direito a melhor pontuação em todas as voltas, 86,97. Horigome Yuro acabou em terceiro, bem perto da prata, com 273,28.

Melhor da semifinal de sábado, o americano Nyjah Huston somou 251,38, terminando a competição em sétimo lugar entre os oito participantes.

Nenhum brasileiro disputou a decisão, o melhor no masculino foi Gabryel Aguilar, que terminou na 14ª colocação na semi e ficou de fora da finalíssima. Por ser um Mundial, esta etapa conta mais pontos que o habitual do circuito World Skate, portanto, fundamental par quem quer estar em nas Olimpíadas de Paris 2024.

Últimas